quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Viver melhor em 2012.





Então, como foi o seu 2011?

Pense bem em tudo o que voce fez, sentiu, deixou de fazer, e responda mentalmente.

A minha resposta seria: teve o melhores e piores momentos. Mas passou muito rápido.

Não tive meu primeiro livro publicado, nem terminei o meu segundo.
Fiquei longe das pessoas que eu mais queria ficar perto.
Viajei muito, e acabei no mesmo lugar.
Fiquei menos rico, ainda assim, o meu patrimônio foi preservado em grande parte, com todas as quebradeiras e oscilações de bolsas de valores. Mas comi e bebi muito bem, não posso reclamar.
Vi paisagens lindas, andei de bicicleta, dirigi BMW, dormi em pluma de ganso e em colchão furado.
A vida é assim: o ato de viver no universo humano - tem o fluxo de suas marés, do profundo pensamento à divagação superficial e do vazio da meditação. Sentimentos de alegria, tristeza, realização, e dor.

Tudo isso às vezes me fez refletir sobre a grande questão: o que significa viver de forma significativa?

Será que o nosso modo de vida, trabalho, diversão, está ficando materialmente rico, enquanto vai deixando-nos emocionalmente, relacionalmente, socialmente, fisicamente e espiritualmente mais pobres?

O pensador sistêmico já começa, dentro de mim, a pensar no que poderia ser otimizado para ser mais: ou maior, mais rápido, mais barato, mais sábio, mais inteligente, mais perto de quem gostamos, enfim - como poderíamos redesenhar economias, mercados e organizações para nos ajudar a viver melhor?

Para 2012 então vou me desafiar, e desafio você também a reimaginar e redesenhar sua vida para mais prosperidade. Pois os grandes desafios de hoje são nada menos do que reconstruir a economia, a política, a rede humana da sociedade. Para isso precisaremos de nosso próprio potencial humano.

As mudanças que teremos que fazer para ter um 2012 de muito sucesso, como todos nossos amigos e familiares nos desejam, vai ter que começar com você...

Então aqui vai uma pergunta. Quais são as suas três lições para viver melhor em 2012?


Eu não vou responder por mim.  Mas os temas que eu usaria para reflexão, seriam sobre como:

- viver o hoje com uma visão de longo prazo
- apoiar pessoas com coragem, sabedoria e capacidade
- nutrir e sustentar idéias de uma sociedade, política e economia que querem florescer

Como o grande poeta escreveu certa vez: "caminhante, não há caminho, o caminho faz-se caminhando".

Boa caminhada para todos nós no ano novo que se aproxima!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Porque os seres humanos gostam tanto de viajar?

Recentemente usei um aplicativo do Facebook, TripAdvisor, para colocar no mapa todas as cidades que eu lembrava ter visitado alguma vez na vida. Depois o aplicativo gera um mapa para você colocar no seu Blog, como faço agora.
Uma pena que o resultado fica um pouco pequeno e não muito interativo, mas mostra as cidades que já visitei e as que planejo visitar. Os links levam a páginas com dicas de viagem para aquela cidade. Notem quanto espaço não coberto pelas viagens. A Terra pode ser um grão de poeira incrivelmente insignificante no Universo, mas para as criaturas que aqui habitam, é um lugar muito grande. Extremamente grande. Faça um pequeno vôo entre Rio e São Paulo, por exemplo, para se dar conta da extensão de área vazia que existe no mundo.
Em outro  post fiz algumas contas, de quanto da Terra eu uso para viver. Peguei a área de meu apartamento em metros quadrados e dividi pela área seca do planeta, que seriam mais ou menos 30% de 510.000.000 km2, ou seja, uns 150 milhões de km2. Convertendo de km2 para metros quadrados, 150 x 10^6 x 10^3 x 10^3, ou 150.000.000.000.000 m2,  está certo isso? Mas dessa área não coberta por mares, apenas 10% é realmente habitável (por questão de temperatura, etc). Calcule o quanto representa sua porção disso. No final das contas, concluo que queremos viajar muito porque vivemos em muito pouco. Confira http://pt.wikipedia.org/wiki/Terra


sábado, 10 de dezembro de 2011

Deus segundo Spinoza


Um Colega meu *exilado* no Equador me envia carta. Aqui copio.

Ler...reler... "Baruch Spinoza, um filósofo judeu holandês (1632 a
1677), desenvolveu suas ideias a respeito das Escrituras Sagradas e da
natureza de Deus.





Pode-se imaginar, na época em que foram divulgadas, as críticas e
a comoção que essas ideias geraram.
As autoridades judaicas o excomungaram, quando tinha 23 anos.
Spinoza muda seu nome de Baruch (abençoado) para Benedito de
Spinoza. Também ficou conhecido como Bento Spinoza.
A Igreja Católica colocou seus livros no Índice de Livros Proibidos.

Foi quem teve a mais profunda visão de Deus, quem sabe? 

DEUS SEGUNDO SPINOZA (1.632 a 1677)

 “Pára de ficar rezando e batendo no peito! O que eu quero que faças é
que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes,
cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo
construíste e que acreditas ser a minha casa.

Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas
praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo
mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo
mau.

O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu
amor, teu êxtase, tua alegria. ... Expressa tua alegria! Esse é o
jeito de me louvar.

Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te
ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás
vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de
mais milagres? Para que tantas explicações?

Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro... aí é que
estou, batendo em ti.

Baruch Spinoza (encurtada para você procurar o resto no Google)