domingo, 30 de setembro de 2012

Passe uma borracha no sonho que te passaram



Tem certeza de que hoje você está acordado?
Será que não está em um sonho, vivendo ilusões, acreditando em coisas que a sua mente recebeu como verdade... mas tudo foi plantado em você como um encanto de magia, será que isso é possível?
Durante um sonho, certamente é. E durante o 'estar acordado', também.

Portanto hoje poderá estar no meio do que você considera um pesadelo, um sonho ruim e verdadeiro. Sonho, sim. Mas verdadeiro, não. Você é que resolveu acreditar que as circunstâncias ao seu redor são prejudiciais a você, que são uma experiência ruim, que são verdadeiras.

Nossa educação inclui muito da filosofia judaico-cristã ocidental, em que a grande parte da atenção é dada ao pecado. A primeira coisa que nos ensinam são os pecados capitais. Muita atenção com os sete, e dezenas de outros que são os desdobramentos dos originais. Depois vêm Dez Mandamentos, com "Não matarás!" Sem falar depois nas inúmeras punições e penitências a seguir.
Com tanta atenção no que não fazer, e um número tão grande de tópicos, só mesmo Superhomens para seguir o caminho da verdade, da felicidade, da comunhão com o Divino.

Por isso acho tão fantástica a Filosofia Tolteca, colocada a nosso alcance na obra de Don Miguel Ruiz,  no livro Os quatro Compromissos (e outros sobre o mesmo tema).

São apenas quatro coisas, simples e profundas, para a libertação do mundo da ilusão e conquista do mundo da realidade, da verdade, da meditação, da iluminação, da paz. Um guia para ser impecável que não requer saber sete pecados originais nem uma centena de outras instruções do que fazer e não fazer. 

Já postei sobre isto antes, meu primo/irmão já postou no seu blog Anexo Sem Nexo, e espero que as palavras sejam lidas. A palavra é o instrumento mais poderoso do Homem. Usá-la corretamente é não contrariar sua natureza, é assumir a responsabilidade por seus atos, pensamentos e sentimentos, sem julgamentos ou culpas.  Ser impecável com a própria palavra é empregar corretamente a sua energia, ou seja, não desperdiçar ou perder energia e poder pessoal. É usar a palavra na direção da verdade e do amor por você. Se você se comprometer a ser impecável com sua palavra, basta essa intenção para que a verdade se manifeste por seu intermédio e limpe todo o veneno emocional que existe em seu interior.

Esse seria o Primeiro Compromisso.

Outros Sites como o "Somos Todos Um" também tem materiais para quem ainda não leu o livro ou não tem meios de conseguir um exemplar. 

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Fale bem baxinho, e ouça uma voz que fala assim


Você deve ter notado que, se você quiser falar com alguém em uma sala barulhenta e lotada, a melhor coisa a fazer é se aproximar e usar um sussurro. Gritando, em uma tentativa de ser mais alto do que o ruído da sala, geralmente só dói a sua garganta e contribui para o caos.

Uma sutil, porém profunda, voz dentro de cada um de nós não tenta competir com a agitação na superfície de nossas mentes, nem tenta dominar o volume estridente do mundo exterior . Se queremos ouvi-la, não importa o que está acontecendo ao nosso redor ou mesmo dentro de nós, podemos sempre entrar em sintonia com essa voz lá de dentro.

As vozes mais insistentes em nossas cabeças, aquelas que gritam e nos fazem sentir pânico ou medo, são de autoridade duvidosa. Eles podem ser vozes que internalizamos desde a nossa infância. Podem ser de nossa cultura e, como tal, possuem apenas meias-verdades. Sua urgência decorre da sua desconexão do centro de nosso ser, e sua urgência é o que chama a atenção.

A outra voz, aquela profunda e que fala baixinho,  que é do BEM, simplesmente transmite sua mensagem com confiança e calma. Uma vez que a ouvimos, nós sabemos que fala a verdade. Geralmente, quando ouvimos o que ela tem a dizer, uma poderosa sensação de calma se instala sobre o nosso ser, e as outras vozes e sons, uma vez tão dominantes, desaparecem no fundo, de repente, parecendo pequenas e distantes.

Podemos ser menos propensos a entrar em conversa fiada quando nós nos tornamos mais interessados em manter a nossa ligação com o sussurro da verdade, que transmite a sua mensagem como o som do vento balançando as folhas de uma árvore. Alinhe-se mais com essa voz que fala baixo, com a confiança tranqüila,  penetrando o barulho do mundo, e criando mais paz para o seu dia.

(extraído de Underneath the Noise  /   Hearing the Whisper  /  by Madisyn Taylor)