quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Marcas e Marketing


Adoro o tema, estudo e pesquiso apaixonadamente.

Ontem recebi um presente de meu amigo Jaime, da TROIANO, com dois livros editados por ela. Excelentes.

Melhor desenvolvimento de marcas é um desafio da empresa de hoje. Marqueteiros confiam demais na intuição, mesmo os muito bons.

(Tem um trabalho na Scientific American diz quando se deve e quando não se deve confiar na intuição. Mas tenho que procurar a revista... trouxe dos EUA e joguei lá em casa).

Autores de consultorias de renome dizem que:
“A chave para construir marcas mais cientificamente é combinar uma segmentação do mercado voltada para o futuro com uma melhor compreensão dos clientes e uma marca de identidade.” (McKinsey & Co., NOVEMBRO 2003 • Nora A. Aufreiter, David Elzinga, e Jonathan W. Gordon )
Construir marcas fortes não está ficando mais fácil. Uma explosão no número de marcas, bem como uma proliferação de formas de comunicar com o público, a partir de centenas de canais de TV a cabo, Internet, a colocação de produtos em filmes, e até mesmo de telefones móveis, LCD’s em elevadores.

Como ficar acima desta desorganização sem detonar os cofres de nossas empresas? Mais esperteza no branding.

Gosto do alerta (e concordo, sempre pensei assim) do Jaime: "Marca não é tapume".
Técnicas de Marketing e Branding não podem salvar marcas cuja proposta de valor ficam atrás dos seus concorrentes.

Qualquer nova abordagem exige um conjunto de novas competências no departamento de marketing. Deve ser apoiada pela Gestão para destacar os passos que outras partes da organização, desenvolvimento de produto para as operações de serviço ao cliente, devem tomar para ajudar a construir a marca. Desde suporte, serviços, recepcionista da empresa ao vendedor - todos influem na percepção da Marca.

Até a próxima - vou escrever mais aqui enquanto não publico meu livro.

Nenhum comentário: