quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Marcas e Marketing


Adoro o tema, estudo e pesquiso apaixonadamente.

Ontem recebi um presente de meu amigo Jaime, da TROIANO, com dois livros editados por ela. Excelentes.

Melhor desenvolvimento de marcas é um desafio da empresa de hoje. Marqueteiros confiam demais na intuição, mesmo os muito bons.

(Tem um trabalho na Scientific American diz quando se deve e quando não se deve confiar na intuição. Mas tenho que procurar a revista... trouxe dos EUA e joguei lá em casa).

Autores de consultorias de renome dizem que:
“A chave para construir marcas mais cientificamente é combinar uma segmentação do mercado voltada para o futuro com uma melhor compreensão dos clientes e uma marca de identidade.” (McKinsey & Co., NOVEMBRO 2003 • Nora A. Aufreiter, David Elzinga, e Jonathan W. Gordon )
Construir marcas fortes não está ficando mais fácil. Uma explosão no número de marcas, bem como uma proliferação de formas de comunicar com o público, a partir de centenas de canais de TV a cabo, Internet, a colocação de produtos em filmes, e até mesmo de telefones móveis, LCD’s em elevadores.

Como ficar acima desta desorganização sem detonar os cofres de nossas empresas? Mais esperteza no branding.

Gosto do alerta (e concordo, sempre pensei assim) do Jaime: "Marca não é tapume".
Técnicas de Marketing e Branding não podem salvar marcas cuja proposta de valor ficam atrás dos seus concorrentes.

Qualquer nova abordagem exige um conjunto de novas competências no departamento de marketing. Deve ser apoiada pela Gestão para destacar os passos que outras partes da organização, desenvolvimento de produto para as operações de serviço ao cliente, devem tomar para ajudar a construir a marca. Desde suporte, serviços, recepcionista da empresa ao vendedor - todos influem na percepção da Marca.

Até a próxima - vou escrever mais aqui enquanto não publico meu livro.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Os bilhões de ajuda financeira n x $,$$$,$$$,$$$ !!!!

Fiquei meio distante do blog, viajei demais, trabalhei demais, estressei demais com essa crise. Eis que um colega me envia um comentário do mestre:

" Frase do nosso irmão português e Prêmio Nobel de Literatura (1998).

"Onde estava todo esse dinheiro? Estava muito bem guardado. De repente, ele apareceu logo, para salvar o quê? Vidas? Não. Apareceu para salvar os bancos”
José Saramago,

escritor, sobre a crise econômica mundial e a ajuda dos governos de diversos países às instituições financeiras.Extraído da Revista Isto É. http://www.terra.com.br/istoe/edicoes/2035/artigo114074-1.htm

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Os cinco estágios da carreira

Será que é assim mesmo? Eu ainda acho que no trabalho, na batalha, fazemos amigos de verdade, ganhando o pão com o suor e sangue. Mesmo que o motivador tenha sido profissional.

Um texto de Max Geringer.

Existem cinco estágios em uma carreira.
O primeiro estágio é aquele em que um funcionário precisa usar crachá, porque quase ninguém na empresa sabe o nome dele.
No segundo estágio, o funcionário começa a ficar conhecido dentro da empresa e seu sobrenome passa a ser o nome do departamento em que trabalha. Por exemplo, Heitor de contas a pagar.
No terceiro estágio, o funcionário passa a ser conhecido fora da empresa e o nome da empresa se transforma em sobrenome. Heitor do banco tal.
No quarto estágio, é acrescentado um título hierárquico ao nome dele: Heitor, diretor do banco tal.
Finalmente, no quinto estágio, vem a distinção definitiva. Pessoas que mal conhecem o Heitor passam a se referir a ele como 'o meu amigo Heitor, diretor do banco tal'. Esse é o momento em que uma pessoa se torna, mesmo contra sua vontade, em 'amigo profissional'.
Existem algumas diferenças entre um amigo que é amigo e um amigo profissional.Amigos que são amigos trocam sentimentos. Amigos profissionais trocam cartões de visita.Uma amizade dura para sempre.Uma amizade profissional é uma relação de curto prazo e dura apenas enquanto um estiver sendo útil ao outro.Amigos de verdade perguntam se podem ajudar. Amigos profissionais solicitam favores.
Amigos de verdade estão no coração.Amigos profissionais estão em uma planilha.É bom ter uma penca de amigos profissionais.É isso que, hoje, chamamos networking, um círculo de relacionamentos puramente profissional. Mas é bom não confundir uma coisa com a outra.Amigos profissionais são necessários.Amigos de verdade, indispensáveis.Algum dia, e esse dia chega rápido, os únicos amigos com quem poderemos contar serão aqueles poucos que fizemos quando amizade era coisa de amadores.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Contagie as pessoas com o verdadeiro. Aja como pessoa dos tempos antigos.‏

por SARA MARIA BINATTI DOS ANJOS ---
SOU UMA PESSOA COMUM!
Fui criado com princípios morais comuns.
Quando criança, ladrões tinham a aparência de ladrões .
Mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos eram autoridades presumidas, dignas de respeito e consideração.
Quanto mais próximos, e/ou mais velhos, mais afeto.
Inimaginável responder deseducadamente a policiais, mestres, aos mais idosos, autoridades. Confiávamos nos adultos porque todos eram pais/mães de todas as crianças da rua, do bairro, da cidade.
Tínhamos medo apenas do escuro, de sapos, de filmes de terror.
Ouvindo hoje o Jornal da noite, deu-me uma tristeza infinita por tudo que perdemos. Por tudo o que meu filho precisa temer. Pelo medo no olhar de crianças, jovens, velhos e adultos.
Matar os pais, os avós, violentar crianças, seqüestrar jovens, roubar, enganar, passar a perna, tudo virou banalidades de notícias policiais, esquecidas após o primeiro intervalo comercial. Agentes de trânsito multando infratores são exploradores, funcionários de indústrias de multas. Policiais em blitz são abuso de autoridade.
Regalias em presídios são matéria votada em reuniões.
Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos.
Não levar vantagem é ser otário. Pagar dívidas em dia é bancar o bobo, anistia para os caloteiros de plantão. Ladrões de terno e gravata, assassinos com cara de anjo, pedófilos de cabelos brancos.
O que aconteceu conosco?
Professores surrados em salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas portas e janelas.
Crianças morrendo de fome, gente com fome de morte.
Que valores são esses?
Carros que valem mais que abraço, filhos querendo-os como brindes por passar de ano. Celulares nas mochilas dos que recém largaram as fraldas.
TV, DVD, telefone, vídeo game, o que vai querer em troca desse abraço, meu filho?
Mais vale um Armani do que um diploma.
Mais vale um telão do que um papo.
Mais vale um baseado do que um sorvete.
Mais vale dois vinténs do que um gosto.

Que lares são esses?
Bom dia, boa noite, até mais.
Jovens ausentes, pais ausentes, droga presente e o presente uma droga.

O que é aquilo? Uma árvore, uma galinha, uma estrela. Quando foi que tudo sumiu ou virou ridículo? Quando foi que senti amor pela última vez? Quando foi que esqueci o nome do meu vizinho? Quando foi que olhei nos olhos de quem me pede roupa, comida, calçado sem sentir medo? Quando foi que fechei a janela do meu carro? Quando foi que me fechei?

Quero de volta a minha dignidade, a minha paz e o lugar onde o bem e o mal são contrários, onde o mocinho luta com o bandido e o único medo é de quem infringe, de quem rouba e mata.

Quero de volta a lei e a ordem. Quero liberdade com segurança.

Quero tirar as grades da minha janela para tocar as flores.
Quero sentar na calçada, e minha porta aberta nas noites de verão. Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olho no olho. Quero a vergonha, a solidariedade e a certeza do futuro. Quero a esperança, a alegria.
Eu quero ser gente e não peça de um jogo manipulado por TV a cabo.
Eu quero a notícia boa, a descoberta da vacina, a plantação do arroz.
Eu quero ver os colonos na terra, as crianças no colégio, os jovens divertindo-se, os velhinhos contando histórias. Eu quero um emprego decente, um salário condizente, uma oportunidade a mais. Uma casa para todos, comida na mesa, saúde a mil.
Quero livros e cachorros e sapatos e água limpa. Não quero listas de animais em extinção. Não quero clone de gente, quero cópia das letras de música. Eu quero voltar a ser feliz!
Quero dizer basta a esta inversão de valores e ideais.
Quero xingar quem joga lixo na rua, quem fura a fila, quem rouba um lápis, quem ultrapassa a faixa, quem não usa cinto, quem não paga as suas contas, quem não dignifica meu voto.
Quero rir de quem acha que precisa de silicone, lipoaspiração, implante, dieta, cirurgia plástica, carro zero e quem sabe até um importado, laptop, bolsa XYZ, calça ZYX para se sentir inserido no contexto ou ser "normal".
Abaixo a ditadura do "tem que", as receitas de bolo para viver melhor, as técnicas para pensar, falar, sentir! Abaixo o especialista, o sabe-tudo rodeado de microfones e câmeras! Abaixo o "TER", viva o "SER"! E viva o retorno da verdadeira vida, simples como uma gota de chuva, limpa como um céu de abril, leve como a brisa da manhã! E definitivamente comum, como eu... ADORO MEU MUNDO SIMPLES, COMUM E HUMILDE.

TIME Mobile - In Latin America, Pointing a Finger at the US

Para o nosso gáudio e gozo: metendo o dedo na cara dos outros. Pelo menos isso é o que o nosso Presidente acha.

In Latin America, Pointing a Finger at the US
Analysis: Venezuela's Chavez may crow about the demise of the U.S. economy, but it will tighten his own belt. Latin America's big winner may instead be Brazil, the country that has best managed capitalismIn an interview with TIME last month, Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva sounded as calm as an afternoon on Copacabana. "The American crisis," he said, "is an American problem that they will have to resolve." A couple of weeks later, at the U.N. General Assembly in New York, a more concerned Lula warned, "We cannot let the burden of the boundless greed of a few be shouldered by all."Over the past week, however, it became clear just how much the "American problem" may affect Brazil's stellar economic performance, as the Sao Paulo stock index -- the Bovespa -- lost about 20% of its value. A visibly irked Lula barked that the U.S. disaster "is one of the most serious problems we have ever seen." His parting shot: "Our financial system is not involved in the [U.S.] subprime" mortgage mess that sparked the catastrophe. "We did our homework and the U.S., who spent 30 years telling us what to do, did not."Such is today's surreal situation that Washington is getting lectured on capitalism by Lula, the head of Brazil's leftist Workers' Party. All over a region once considered the poster child for economic dysfunction, the refrain is the same: Why can't the gringos run an economy as well as we do? Since the fall of the Berlin Wall, Latin America has been adopting the free-market economic reforms demanded by the U.S. The "Washington Consensus" -- more open markets, draconian cuts in public spending, privatization of inefficient industries -- has often been blamed for exacerbating the continent's epic inequality. But most Latin American countries now follow market policies. Some, especially Brazil, have used them not only to create prodigious wealth but also to redistribute it: 52% of Brazil's 190 million people now occupy the middle class, up from 42% when Lula was first elected in 2002. Using its windfall from high world commodities prices to tuck away a record $215 billion in foreign reserves, Brazil has also built what it thought were sturdy defenses against the global financial contagions that had regularly waylaid it in the past.Then came the mother of all Wall Street collapses, fueled by a toxic cocktail of avarice and incompetence once common to the Latin American establishment, and the continent's trust in Washington's free-market model is once again in tatters. Lula and President Bush have spoken on the phone twice since last weekend to reassure each other about their countries' financial health. But the crisis is a shot in the arm for the socialist project of the new Latin left, led by Venezuelan President Hugo Chavez. "Countries like Mexico, Brazil and Chile have done everything expected of them macro-economically, but everyone underestimated the size of this crisis," says Peter Hakim, president of the Inter-American Dialogue in Washington, D.C. "Lula is very right to point the finger of blame at the U.S. If the Venezuelas of the region, which rejected market policies out of hand, come out better at the end of all this than the Brazils do, the credibility of the Washington Consensus will be sadly diminished."The Washington Consensus had already taken a hit in 1995, during Mexico's last peso crash, and in 2002, when the International Monetary Fund, backed by the U.S., insisted on a strict currency policy that worsened Argentina's economic collapse and led to its massive foreign debt default. Since then, Argentina has thumbed its nose at the IMF and Washington, and has seen a dramatic recovery.But as much as they may enjoy the shaming of the U.S. in the current crisis, leftist crusaders like Chavez may take an even bigger hit from the American debacle than more centrist governments like Brazil's will. The financial meltdown is dragging commodity prices along with it, which is bad news for leftist-run economies such as Venezuela's (oil) and Bolivia's (natural gas). It may also have a negative effect on Argentina's important agro-export sector. What's more, Bolivia and Argentina, as well as others such as Nicaragua and Cuba, have come to depend on Chavez's petro-largesse, which stands to be greatly reduced this year and next if crude prices keep plummeting as they are now. "People forget how much Argentina's recovery involved Venezuela's purchase of millions of dollars in Argentine bonds," says Eduardo Gamarra, a Latin America expert at Florida International University in Miami.Brazil, whose $1.3 trillion economy is Latin America's largest and ranked 10th in the world, also relies substantially on commodity exports. But in contrast to his regional peers, Lula's business-friendly policies have made the nation a rarity in Latin America, more reliant on manufactured exports than on commodities. That, along with a well-capitalized banking system and a strong balance of payments picture "has buffered [Brazil] quite a bit against the coming downturn," says Paulo Leme, director of emerging markets research at the Goldman Sachs investment bank in New York. And while Mexico relies on the U.S. market for 80% of its exports, Brazil sends less than a fifth of its exports to the U.S.Still, Brazil and Latin America again are in for yet another test of their economic maturity. And it will be especially hard if the region's new trading buddy, China -- Chinese-Latin American commerce has grown from less than $3 billion in 1990 to more than $70 billion today -- sees a downturn of its own in response to the global crisis. But if capitalist-oriented economies such as Brazil's survive it, "the market approach could actually be bolstered in an ironic way," says Hakim, "meaning that countries like Brazil will look like the examples who managed capitalism better than the U.S. did." In that case, Washington and Wall Street could find themselves berated by a new 'Brasilia Consensus.'

Onça bebendo água


"Muita gente não entendeu o que Lula quis dizer ao definir momentos de crise econômica como "a hora da porca torcer o rabo". Referia-se ao exato instante de a onça beber água. a cobra fumar, o jacaré nadar de costas, a gente pagar o pato. O mercado amarrar o bode. Sabe quando a vaca vai pro brejo? "A hora da porca torcer o rabo" é um pouquinho antes. Afogar o ganso não tem nada a ver com o peixe. O não comer gato por lebre. A oposição fala cobras e lagartos, aposta que Lula vai dar com os burros n'água, que passarinho não bebe, mas cão que ladra não morde. Tucano nenhum tem coragem de cutucar a onça com vara curta. O cabra, como se sabe, está com amacaca! Enfim, passarinho que come pedra... Tutty Vasques "O Estado de S.Paulo" 09/10/08 "


Infelizmente 90% da população, ou felizmente, não tem noção do impacto da crise e de quanto dinheiro evaporou no ar com a implosão das bolsas no mundo inteiro. Melhor que continuem indo aos jogos de futebol, fazendo compras, etc. Realmente não estão, como os americanos, preocupados que seus fundos de aposentadoria viraram pó, pois nunca tiveram um.


O problema é que, como o Lula disse, que na hora da porca torcer o rabo, vai sobrar. Pois se o americano não compra mais bolsas de mulher feitas no Brasil, a fabrica fecha aqui e a turma fica desempregada (que palavra feia, me dói só de ouvir o som). Imagine isso com milhares de produtos.


Fico torcendo para que a China, como os jornais estão dizendo, continue comprando mais e mais minério de ferro, para que a vaca não vá para o brejo de vez.


Bom final de semana, e acendamos velas para Santo Expedito, das causas urgentes, para recuperar o bom senso do mundo e acabar com o pânico. Vai indo que eu já estou lá.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Novo Livro

Estou afastado do Blog por uns tempos, tudo o que me sobra para escrever eu dedico ao meu novo livro (cujo titulo ainda nao posso divulgar). Ele trata de Estruturas de Marketing e Vendas para empresas com tecnologias avançadas que requerem um ciclo de adoção complexo.
Não consigo imaginar um tema mais empolgante e interessante, enquanto que meus amigos e familiares, ao lerem isso no blog, devem ter puxado um sonoro bocejo.
Mas para os que entusiasmam pela idéia, por favor entrem em contato comigo e colaborem - quem sabe eu possa fazer uma citação ou ceder espaço para um capítulo conjunto?
Saudações, e que as Bolsas se recuperem algum dia para que eu tenha uma aposentadoria.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

realmente, "somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais?"

Veio pelo ar, há tempos... sei lá porque resolvi restaurar aqui a Constatação lamentável
Não me vejo enquadrado aqui. Aliás, sou criticado por ser duro demais com meu filho.
E critico os meus amigos que se comportam como abaixo. Fica o alerta.

" Somos as primeiras gerações de pais decididos a não repetir com os filhos os erros de nossos pais. E com o esforço de abolir os abusos do passado, somos os pais mais dedicados e compreensivos, mas, por outro lado, os mais bobos e inseguros que já houve na história. O grave é que estamos lidando com crianças mais "espertas", ousadas, agressivas e poderosas do que nunca. Parece que, em nossa tentativa de sermos os pais que queríamos ter, passamos de um extremo ao outro.
Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos. Os últimos que tiveram medo dos pais e os primeiros que temem os filhos. Os últimos que cresceram sob o mando dos pais e os primeiros que vivem sob o jugo dos filhos. E o que é pior, os últimos que respeitaram os pais e os primeiros que aceitam que os filhos lhes faltem com o respeito. Na medida em que o permissivo substituiu o autoritarismo, os termos das relações familiares mudaram de forma radical, para o bem e para o mal. Com efeito, antes se consideravam bons pais aqueles cujos filhos se comportavam bem, obedeciam as suas ordens e os tratavam com o devido respeito. E bons filhos, as crianças que eram formais e veneravam seus pais. Mas, na medida em que as fronteiras hierárquicas entre nós e nossos filhos foram-se desvanecendo, hoje, os bons pais são aqueles que conseguem que seus filhos os amem, e, ainda que pouco, os respeitem. E são os filhos quem, agora, esperam respeito de seus pais, pretendendo de tal maneira que respeitem as suas idéias, seus gostos, suas preferências e sua forma de agir e viver. E, além disso, os patrocinem no que necessitarem para tal fim. Quer dizer, os papéis se inverteram, e agora são os pais quem têm de agradar a seus filhos para ganhá-los e não o inverso, como no passado. Isto explica o esforço que fazem hoje tantos pais e mães para serem os melhores amigos e "tudo dar" a seus filhos.

Dizem que os extremos se atraem. Se o autoritarismo do passado encheu os filhos de medo de seus pais, a debilidade do presente os preenche de medo e menosprezo ao nos ver tão débeis e perdidos como eles. Os filhos precisam perceber que, durante a infância, estamos à frente de suas vidas, como líderes capazes de sujeitá-los quando não os podemos conter e de guiá-los enquanto não sabem para onde vão. Se o autoritarismo suplanta, a permissividade sufoca. Apenas uma atitude firme e respeitosa lhes permitirá confiar em nossa idoneidade para governar suas vidas enquanto forem menores, porque vamos à frente liderando-os e não atrás, os carregando e rendidos à sua vontade. É assim que evitaremos o afogamento das novas gerações no descontrole e tédio no qual está afundando uma sociedade que parece ir à deriva, sem parâmetros nem destino. Os limites abrigam o indivíduo, com amor ilimitado e profundo respeito.

"Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos".

Mônica Monasterio (Madri-Espanha)

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Já pensou isto no seu currículo? First Lady


Eu estava vendo o perfil de certas pessoas no LinkedIn, uma ferramenta de "networking" profissional, e acabei me deparando com o do Barack Obama e o da Hillary Clinton.

Agora está na moda as mulheres, quando tem um intervalo em sua carreira, que ficou em casa tendo ou criando filhos, colocarem estes anos em seu historico profissional como "Full time parent" (mãe ou pai em tempo integral), o que acho muito justo. Agora, eu não tinha pensado em ter no currículo umas entradas como "primeira dama". E claro, o da Hillary tá cheio disso e achei interessante:


Experience
Candidate
Hillary Clinton for President
( Political Organization industry)
2007 – Present (1 year)
Senator from New York
United States Senate
( Legislative Office industry)
2001 – Present (7 years)
First Lady
United States of America
( Government Administration industry)
1993 – 2001 (8 years)
First Lady
State of Arkansas
( Government Administration industry)
1983 – 1993 (10 years)
Attorney, Partner
Rose Law Firm
( Law Practice industry)
1977 – 1992 (15 years)
First Lady
State of Arkansas
( Government Administration industry)
1979 – 1981 (2 years)
Professor
University of Arkansas School of Law Fayetteville
( Higher Education industry)
1974 – 1976 (2 years)
Impeachment Inquiry Staff
Judiciary Committee, US House of Representatives
( Government Administration industry)
1974 – 1974 (less than a year)
Staff Attorney
Children's Defense Fund
( Legal Services industry)
1973 – 1973 (less than a year)
Education

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Aquelas fotos dizendo que voce é uma pessoa de sorte



Dezenas de amigos gostaram do feedback sobre aquele email corrente com fotos da "desgraça alheia". Eu me manifestei dizendo que não gosto do modo de encarar as coisas do autor. Não é legal isso de se provocar sentimento de pena, "como eles são coitados e como nós somos afortunados, sortudos, etc etc." Acho que o jeito correto de ver estas fotos é no sentido de despertar compaixão.De repente muito deles aqui tem orgulho de estar aguentando a barra, são felizes apesar das dificuldades, e ficariam ofendidos se o que você tem para oferecer é pena.Ignore o texto que escreveram ao lado das fotos.Olhe para a velhinha com o fardo.Se bobear, ela tá rindo por dentro.Pois apesar da idade e corpinho de palito, tá carregando um fardo à la superhomem.E tá muito orgulhosa de que vai acender o fogao de lenha sozinha, ou que vai chamar as amigas para comer bolinhos depois desta.E vai adorar tirar as meias molhadas para esquentá-las na lareira.Sentir pena significa achar que estamos numa condição superior, melhor do que a dele, por não estarmos passando pelo mesmo sofrimento.


Temos algum tipo de julgamento quanto a esse ser, ou mesmo quanto à situação que originou esse sofrimento. Ter compaixão, no entanto, significa colocar-se incondicionalmente ao lado do outro, sem qualquer tipo de julgamento quanto à situação que ele está vivenciando, sem nenhum outro sentimento que não seja o de propiciar alívio à situação na qual aquele ser se encontra.Ficar amargurado, dolorido, aborrecido e estragar o dia (e depois nada fazer) é sentir pena.A compaixão exige de nós uma atitude, uma ação. Exige que nos coloquemos na situação em questão, e que nos ofertemos, ou a algo de nós mesmos, para que essa situação se resolva. Exige que estejamos presentes, que sejamos atuantes, que nos posicionemos. Não sinta pena das pessoas que você verá. Pode agradecer sim, pelo que você tem de bom. Mas assuma uma posição sobre o que vê. Faça alguma coisa. Escreva para alguém. Vote em outro. Esculhambe quem merece. Senão você ficou sentindo pena e nada fez para mudar a situação. Abraços a vocês,

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Vamos produzir e criar riqueza


Recebido por email

"Fábula da Galinha vermelha, qualquer semelhança é mera coincidência! Ou não!


A história da galinha vermelha que achou alguns grãos de trigo e disse a seus vizinhos:

'Se plantarmos trigo, teremos pão para comer. Alguém quer me ajudar a plantá-lo?'

'Eu não', disse a vaca.

'Nem eu', emendou o pato.

'Eu também não', falou o porco.

'Eu muito menos', completou o ganso.

'Então eu mesma planto', disse a galinha vermelha.


E assim o fez. O trigo cresceu alto e amadureceu em grãos dourados.

'Quem vai me ajudar a colher o trigo?', quis saber a galinha.

'Eu não', disse o pato.

'Não faz parte de minhas funções', disse o porco.

'Não depois de tantos anos de serviço', exclamou a vaca.

'Eu me arriscaria a perder o seguro-desemprego', disse o ganso.

'Então eu mesma colho', falou a galinha, e colheu o trigo ela mesma.

Finalmente, chegou a hora de preparar o pão.


'Quem vai me ajudar a assar o pão?' indagou a galinha vermelha.

'Só se me pagarem hora extra', falou a vaca.

'Eu não posso por em risco meu auxílio-doença', emendou o pato.

'Eu fugi da escola e nunca aprendi a fazer pão', disse o porco.

'Caso só eu ajude, é discriminação', resmungou o ganso.

'Então eu mesma faço', exclamou a pequena galinha vermelha.

Ela assou cinco pães, e pôs todos numa cesta para que os vizinhos pudessem ver. De repente, todo mundo queria pão, e exigiu um pedaço. Mas a galinha simplesmente disse:

'Não, eu vou comer os cinco pães sozinha'.

'Lucros excessivos!', gritou a vaca.

'Sanguessuga capitalista!', exclamou o pato.

'Eu exijo direitos iguais!', bradou o ganso.

O porco, esse só grunhiu.


Eles pintaram faixas e cartazes dizendo 'Injustiça' e marcharam em protesto contra a galinha, gritando obscenidades.

Quando um agente do governo chegou, disse à galinhazinha vermelha:


'Você não pode ser assim egoísta'.

'Mas eu ganhei esse pão com meu próprio suor', defendeu-se a galinha.


'Exatamente', disse o funcionário do governo. 'Essa é a beleza da livre empresa. Qualquer um aqui na fazenda pode ganhar o quanto quiser. Mas sob nossas modernas regulamentações governamentais, os trabalhadores mais produtivos têm que dividir o produto de seu trabalho com os que não fazem nada'.


E todos viveram felizes para sempre, inclusive a pequena galinha vermelha, que sorriu e cacarejou: 'eu estou grata', 'eu estou grata'. Mas os vizinhos sempre perguntavam por que a galinha, desde então, nunca mais fez nada mais... nem mesmo um pão "


Então agora vamos aproveitar as eleições e ver os defensores dos patos, vacas, gansos e porcos, descerem o pau nas galinhas. E viva o Lula!

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Ordem do Mérito Científico


Saiu no Jornal da Ciência, além do meu pai mandar-me a cópia da carta do Ministro, o que me deixou muito orgulhoso:

"Ordem do Mérito Científico reúne os destaques da C&T no país

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu, por meio de decreto de 21 de agosto, a Ordem Nacional do Mérito Científico a 69 personalidades e ao Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe), por suas contribuições prestadas à C&T A entrega das insígnias e dos diplomas referentes à admissão ou promoção será feita em ato solene presidido pelo presidente da República ou pelo ministro da C&T, em data a ser definida. Conheça abaixo a relação dos novos membros da Ordem.- Admitidos à Classe de Comendador:

Ciências Químicas - Claudio Airoldi, Yoshitaka Gushikem e Roberto Rittner Neto (Unicamp), Ana Maria da Costa Ferreira, Roberto Manuel Torresi e Susana Inês Cardoba de Torresi (USP)."

Parabéns Professor Doutor Roberto Rittner! A família orgulhosa manda votos de muita alegria.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Disseram para você que é especial

Mandaram-me um link para um slideshow "Has any one told you?" daqueles que dizem que somos únicos, perfeitos, seres insubstituíveis, e que estamos aqui para sermos simplesmente nós mesmos. http://www.hasanyonetoldyou.com/
Muito bonito.
O importante é saber disso, mas importante se esquecer disso e não ter tanto auto-apreço, pois segundo a aula de encerramento do curso O Buddha da Medicina (Centro Maytreia, BH), é deste auto-apreço que vem nosso sofrimento e nossas doenças (além daquelas que vêm do karma de vidas passadas - isto tem que ser tema de outra discussão metafísica, pois matematicamente não tem muita coerência).
Muita informação.
Mas o bem que me fez a série de meditações e tranquilidade que se obtém, desfez a necessidade de tanta informação.
E as ações que a gente toma no dia-a-dia, de maneira desprendida, também fazem muito bem a nós e a humanidade.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

As tais das listas do que fazer


Quando era pequeno, tinha meu pai me mandando o que fazer.

Agora que sou adulto e dono do meu nariz, tenho 253 pessoas/gurus me mandando o que fazer: para ter saúde, para subir na vida, para ter uma companheira, para emagrecer, para liderar melhor as pessoas, para economizar dinheiro, para salvar o planeta, para educar os filhos, ...


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARRRRRRRGHHHH!!!


Chega!! Chega de enviar listas do que fazer para não perder cabelo, embora os meus estejam caindo mesmo.


Vou deixar meus instintos, intuição, paz interior e espírito (enfim, aquilo que se conecta com a consciência universal) liderar o caminho. Ou então teria que carregar 253 listas de pelo menos cinco itens cada um sobre o que fazer/não fazer.

DÁ UM TEMPO!!!


Inspira, ... expira, ... inspira, ... respira.
PS: Porque a foto esquiando?

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Dores e boicotes

Alguém me diz que essa parábola do copo e do lago é bobagem. B/S. Que para eliminar a dor de vez, devemos senti-la com toda intensidade. Pedi um dorômetro para saber onde seria esse limite máximo da dor, pois às vezes sentimos demais e às vezes, de menos. E quantos tipos de dor existem. Se forem temporárias e não permanentes, prefiro jogar no lago e não senti-las. E dor de corno, se encaixa?

Um outro amigo se revolta com a concorrência dos produtos chineses. E nos convida "a participar da marcha contra a importação de produtos chineses. Que tal?"
Minha resposta: Se você tivesse (ou fosse) um líder carismático como Ghandi, e o produto importado fosse um só (tecido inglês), talvez conseguisse.

No contexto atual, ainda vale o que Adam Smith disse: cada um vai maximizar o SEU beneficio, vai comprar o mais barato com mais utilidades. Se o americano que é muito mais ufanista que o brasileiro vai no WalMart (que está matando todas as outras lojas dos EUA) e compra Chinês, o que te faz crer que o tupiniquim vai boicota-los? Para defender os interesses dos empresarios brasileiros (e por consequencia o país e os empregados)?

O dia em que o povo brasileiro se unir para QUALQUER coisa que não seja Copa do Mundo, novela ou BBB, nós salvamos qualquer coisa. Por enquanto aguarde.

domingo, 24 de agosto de 2008

(Pensamento Zen-Budista)

Recebi da Marília este lindo pensamento em forma de estória, aqui sumarizada.


Uma colher de sal em um copo d'água tem um gosto muito ruim.

O mesmo sal adicionado a um lago, não afeta o sabor da água.

A parábola nos mostra que a dor ou sofrimento na vida de uma pessoa tem o impacto inversamente proporcional ao valor de tudo que você tem do que você é e tem, no sentido espiritual.

É o ensinamento de "deixar de ser copo para tornar-se um lago."

Do post do Ubuntu,
evoluímos para o Zen,
"Somos o que fazemos, mas somos principalmente o que fazemos para mudar o que somos."

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Song Sung Blue

Every body knows one. Só uma musica na velocidade dessa, com o Neil Diamond (do meu tempo, sim), ajuda numa hora dessa. Sexta feira a noite, exausto, quebrado, e o vizinho sapateando e jogando trombolhos no piso de madeira que reverberam em toda a casa. Não vejo a hora da arquiteta colocar isolamento acustico no teto.
Sem mais. Hora da cerveja e petiscos.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

A mudança não acaba nunca

Vejo algumas caixas de livros ainda empilhadas no escritório. Penso que devo contratar um marcineiro para fazer estantes para estes livros nos armários. QUe enfim eles terão um lugar para ficarem bem guardados.

Na hora do almoço, acompanhei a entrega do meu piano, a última a coisa a mudar para o apartamento novo. Essas coisas é melhor a gente nem ver. Só quem tem piano sabe o que é mudar. Penso: acabou. Ele está no lugar agora. Inteiro. Intacto.

Acabou nada. Só até a próxima mudança.

Ontem à noite em um curso "O Buddha da medicina", sou alertado para o fato de que a cada cura, posso contrair outra doença. Terminar uma gripe, mas pegar uma hernia. E enfim morrer, mas logo em seguida renascer, para sofrer com todas as doenças geradas por todo o karma acumulado nas vidas passadas. Ou seja, a coisa só piora. A nào ser... que eu me ilumine mais a cada vida, construindo karma positivo, de modo que na vida seguinte eu fique menos doente.

E a conclusão do Mestre: "Somos IMEDIATISTAS!! Parem de querer tudo para AGORA!"

Pois é, sem esperar me curar nesta vida, pois não sairei vivo desta. E nem na próxima. Vou irradiar luz para o próximo, fazer o bem, e esvaziar minha mente. E tomar meu Prozac de cada dia, pois minha iluminação de cada dia só vai trazer efeito na vida que vem. O Buddha da medicina vai me ajudar, mas trabalhará em conjunto com a clínica e a Novartis.

Fui

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Africanos e Sistemas operacionais


Sobrevivi à segunda (feira) depois de duas semanas de férias. O pessoal da empresa foi ótimo, cuidou de tudo, não tive um stress nem problemas que escalaram. Mas tive umas mil coisas para fazer pois o piano precisa ir para minha casa nova, a velha precisa ser pintada, e outras providencias. Tudo está dando certo, apesar de correria. Só para eu DESAPRENDER que segunda-feira é um CAOS com mil coisas no do-list. Não morri, muito pelo contrário. Foi divertido e tranquilo.


Terça-feira igual. Estou ficando mal-acostumado.


Centro de Meditação Budista hoje à noite para aprender a evitar doenças por preocupação e estresse. R$30, menos que levar a família toda se encher de McDonald's. Sidarta Gautama se vira lá no umbigo de Dharma, ou na Flor de Lótus onde medita, ao ouvir tanta bobagem. Perdão com sinceridade, querido Buddha.


Meu filho me fala que instalou UBUNTU no PC dele de tanto que odeia o VISTA. Tipo Linux.

Linux para Seres Humanos é como se "vende o peixe" do UBUNTU. "Ubuntu" é uma antiga palavra Africana, cujo significado é "humanidade para todos". Ubuntu também quer dizer "E sou o que sou devido ao que todos nós somos". É desenvolvido por uma vasta comunidade.

Quem sabe um dia pulo nessa. Lá em casa os PCs são todos XP, e seguimos a máxima: "Se não tá quebrado, NÃO CONSERTE!!" QUantos FDS perdi instalando OS/2 ou LInux só pra avançar com uma tecnologia para a qual não estávamos prontos??


Vai indo que eu já fui.

sábado, 16 de agosto de 2008

A vida e o cérebro - parte I

Pedro tirou uma foto de uma foto, esta mulher agachada, aparentemente em uma angústia ou tristeza reflexiva, ou sei lá, mil coisas. Comprei um livro chamado "Change your BRAIN, change your life" de Daniel G. Amen, médico. Não li totalmente, apenas passei os olhos pelas páginas.
A súmula é que você pode dominar a ansiedade, angústia, depressão, obsessividade, raiva e impulsividade, ganhando do seu cérebro no jogo dele. Técnicas de colocar pensamentos e nutrição a seu favor, respirando nas horas certas e intervindo sem tomar doses cavalares de Prozac, Trileptal, Rivotril, Lexapro, Fluxetina e sabe lá o que mais.
Mostra de maneira científica como certas estruturas cerebrais processam informação, e como se pode intervir, exercitando caminhos pelos neurônios. Depois espero poder relatar eficácia em efeitos de fato sentidos, se funcionar em algumas coisas que penso aplicar. (e com certas pessoas, alô?)

Daqui a pouco novamente aeroporto, Congonhas para Confins, chegar de volta a esse horizonte belíssimo onde chamo lar. Abraços à galera de todos os portos.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Tenha sempre um bom advogado ao seu lado

Partindo do ponto "aos amigos tudo, aos inimigos, a Lei", é melhor que você esteja preparado caso alguém queira te ver como inimigo, e coloque os rigores da Lei sobre você. Nesta hora, um bom advogado em quem você pode confiar, não tem preço. É como um médico em quem você deposita a confiança para tratar de sua vida. Se você ainda não tem um ou mais de um, encontre-o(s), antes que precise deles, de fato.
Outro livro que comprei na viagem: The 4-hour week. Ou seja, como ganhar muito mais tutu e trabalhar meio dia na semana. E o pior: os conceitos lá estão válidíssimos. No B/S. Precisamos de método, disciplina, coragem (i.e. cojones). Noutro blog explico.
Encomendas: trouxe umas "coisinhas". Quem adora trazer compras de Miami para os outros? Levante o dedo pois não conheço o ser beato que se regozija com ser mula. Mas o que não fazemos pelo respeito da sociedade e alegria geral da nação?
Fiquei devendo uma foto melhor da Corvette. Quase não coube minha mala; a do Pedro enfiamos por uma questão de honra. Quem ficaria sem andar de Corvette porque as malas não couberam no porta-malas?




Finalmente em Terra pátria


Sem querer ser clichê de empresa nacionalista, pensei hoje no meu "orgulho de ser brasileiro". Além disso, no trajeto Guarulhos - Jardins, ouvi muita música brasileira, inclusive Gonzaguinha com "...eu acredito na rapaziada... que segura o rojão". Terra boa, cheia de oportunidade.


Não sei se é o efeito verão com calor escaldante e umidade insuportável da Flórida, mas as lojas e lugares todos desertos. Um amigo que lá vive, em West Palm Beach onde me hospedei, disse que "... isso aqui está como a Grande Depressão de 1929/30. A coisa está preta mesmo." Bom, ele vende coisas para os super-ricos, e consegue se virar.


No Duty Free de GRU os preços subiram uns 20%. Teria sido o aumento do poder aquisitivo do Brasileiro em Dólar?


Comprei um Tissot para lembrar dos meus avós que adoravam a marca, os dois. Pena que perdi na minha adolescência um modelo 1944. Paciência. O gostar da marca ficou em mim e ostento o meu no pulso com orgulho. É lindo.


Nada como almoçar na casa da mãe!


PS: Sem falar que aluguei uma Corvette Amarela, 0-100 em menos de 6. ANIMAL!! Joga o corpo e a cabeça da gente para trás.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Teclqdo FDM

Estamos numa MILK LANHOUSE at Sebastopoulos Ave, Paris.
Teclados Franceses, tudo forq de lugar, ate mesmo o M e o A, sem falae no _çààéè('-èàçè-^$ù*=)çà_:;, tudo mexido. Da raiva de escrever.

Cansados de tanto ver Picasso - e Matisse. Expressos excelentes. Calor. Vontqde de voltqr pqrq casa aumentqndo.

comprei um caderno onde qnoto ideias para o futuro - escrever uns livros no pq luxemburgo, to,qndo cafes as tqrdes no bar dentro das arvores, estudar frances, criar uma super-empresa de b2b mktg com uma tremenda bse de conheci,ento... ideias aos montes.

Hoje eh segunda, depois vem terça. Quqrtq p USA. Intè

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Tower of London, Navio de Guerra e armas


Descobri que meu filho (lembrei!) fica alucinado com armas, navios de guerra, armaduras, etc. Por isso a visita aos temas de hoje foram um sucesso.


Como se fala outras linguas por aqui. Na LAN House se ouve Chines, Koreano, Castellano, Italiando demais. Um calor insuportavel. O Pedro com um impermeavel da Nike que me faz doente ao ve-lo. Eu, suando ate morrer com uma polo, e ele de casaco. Desisti de dizer para tirar, depois de 30 vezes. Pai seria uma chatice?? Somos mesmo. DEMAAAAAAISSSS!!!!

Um amigo me pergunto se eu estava coletando ideias novas para o trabalho. Nao foi minha intencao faze-lo, mas impossivel nao pensar no trabalho a cada nova analogia que encontramos em um mundo novo, que nos tira do dia a dia. Impossivel desligar o cerebro. Claro que afasto os pensamentos de contas a pagar, stress com os vizinhos, faxineira, e outras bobagens do dia a dia. mas as ideias vem mesmo. Um otimo investimento para crescer e pensar para frente.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

We are still here and loving it



Hoje fomos ao Royal Albert Hall ver a Orquestra Sinfonica da BBC de Londres tocar Stravinsky e Ravel. Bolero foi F-A-N-T-A-S-T-I-C-O!!! Emocionante. Que lugar espetacular para shows. Tenho o DVD do show "Concert for George" (Harisson) feito pelo Eric Clapton gravado neste lugar, maravilhoso tambem.





Antes, fui fazer uma visita a um colega de 1972/5, Scot, jogavamos bola na rua, em Norwich. Hoje ele ganha a vida como dono de uma agencia de Marketing Corporativo, Birddog, focada em Business-to-business apenas. Ele me levou um presente: a camisa do Brasil que eu tinha dado para ele logo depois da Copa de 1970, o Brasil Tri. Ele tinha guardado ate hoje. Foi f*** segurar a emocao... e tome cerveja.





Pedro amou ver como se mantem contatos de amigos pelo mundo, msmo depois de trinta e tres anos. Ultima vez que encontrei o Scot pessoalmente: 1987. Mas tem internet. (Conheci o Scot em 1972 em Norwich)



Luciano me diz que ta de ferias em Barcelona, pegando um carro para ir pro sul de France. Muito chic. Tagil gostou do blog e diz que vim me inspirar para o trabalho. Mas que a gente se inspira e tem novas ideias, verdade mesmo!

Mandaram algo para mim, sei la porque, pois demorarei para ter 50.

VANTAGENS DE TER MAIS DE 50 ANOS


As vantagens adquiridas quando se chega a uma certa idade:



1. Os seqüestradores não se interessam mais por você.

2. De um grupo de reféns, provavelmente será um dos primeiros a ser

libertado.

3. As pessoas lhe telefonam às nove da manhã e perguntam: 'te

acordei?'

4. Ninguém mais o considera hipocondríaco.

5.. As coisas que você comprar agora não chegarão a ficar velhas.

6. Você pode, numa boa, jantar às seis da tarde.

7. Você pode viver sem sexo, mas não sem os óculos.

8. Você curte ouvir histórias das cirurgias dos outros.

9. Você discute apaixonadamente sobre planos de aposentadoria.

10. Você dá uma festa e os vizinhos nem percebem.

11. Você deixa de pensar nos limites de velocidade como um desafio.

12. Você pára de tentar manter a barriga encolhida, não importa quem

entre na sala.

13. Você cantarola junto com a música do elevador.

14. A sua visão não vai piorar muito mais.

15. O seu investimento em planos de saúde finalmente começa a valer a pena.

16. As suas articulações passam a ser mais confiáveis do que o

serviço de meteorologia.

17. Seus segredos passam a estar bem guardados com seus amigos,

porque eles os esquecem.

18. 'Uma noite e tanto' significa que você não teve que se levantar

para fazer xixi.

19. Sua mulher diz 'vamos subir e fazer amor', e você responde:

'escolha uma coisa ou outra, não vou conseguir fazer as duas!'.

20. As rugas somem do seu rosto quando você está sem sutiã.

21. Você não quer nem saber onde sua mulher vai, contanto que não

tenha que ir junto.

22. Você é avisado para ir devagar pelo médico e não pelo policial.

23. 'Funcionou ' significa que você hoje não precisa ingerir fibras.

24. 'Que sorte!' significa que você encontrou seu

carro no estacionamento.

25. Você não consegue se lembrar quem foi que lhe mandou esta lista.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

LAN House com perfume especial


Eu e Pedro, diretamente de South Kensington, London, de uma LAN House, postando algo no meu blog, descarregando fotos dos ultimos dias no Facebook dele. Seria melhor se nao houvesse o vagabundo de rua num PC perto, fedendo dois anos sem tomar banho. NOSSA!! Lembrei-me de quando tinha vinte anos e mochilava em Albergues da Juventude pela Europa. Como tinha gente que fedia.

Acabo de receber um email da Beatriz (amiga de tempo de Band) dizendo que esta em Londres com a Claudia, amiga dela. E outro email me avisa que sera aniversario do Luciano, outro colega do Band que vive na Florida. O mundo esta global mesmo.

Madrinha do Pedro pede fotos. Vou carregar uma neste post, e um video no Youtube, dele no Tube (como os locais chamam o seu metro). Basta eu lembrar qual a conta do youtube que eu tinha.
Hoje o Museu Britanico estava insuportavel. Pior que andar na 25 de Marco em Sampa (esse teclado da LAN House ta impossivel de configurar para acentuar, sem falar que o @ e outros simbolos como $ £ #, estao em lugares diferentes!!!). Mas a £1 a hora...
Depois comemos uma bella pasta num restaurante italiano com garcons brasileiros, mas cozinheiro e donos italianos mesmo. Se come bem, por nao muito pouco. Cinquenta dolares os dois, sem sobremesa, mas com entrada, prato principal e refrigerante. Alla putanesca foi meu spaguetti, apimentado no ponto certo e bem quente.
Uma passada no Victoria & Albert Museum, esculturas sensacionais de Rodin e outros. Cansados demais, um descanso no hotel e uma ducha, para sairmos novamente. Hoje somente internet e um passeio para tirar fotos noturnas do Big Ben e Parlamento. Amanha tem Concerto. Depois eu conto.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Saidas e chegadas, flashes de alegria e mais alegria



Despedir-me da filhinha para sua quinzena de ferias em Michigan com suas amigas foi durissimo. Os abracos e beijinhos mais doces imaginaveis, seguido de um aperto no peito e saudades antecipadas que me tiraram o senso de direcao, nao sabia para onde ficava o carro, o Norte, nem me lembro. Mas sei que isso aumenta a vontade de encontrar e a alegria desse momento. O que seria o doce sem o amargo?

Voltar ao aeroporto com o filhao foi uma farra. Chegamos bem, apesar do aperto no voo, a imigracao foi como chegar em casa de amigos. Deixamos malas no London Imperial College (hotel universitario novissimo) passeamos no Science Museum e Londres esta otima.
Vimos uma peca no West End, tipo a "broadway" londrina, morremos de rir.
Monty Python SPAMALOT.

Agora estamos num internet cafe (1£ a hora). Onze da noite. Brasil, umas seis.

Nada como checar o email e contar para os amigos!

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Frases da semana

Conhecido de infância meu que trabalha na Microsoft na área de Windows:
"Monopolio é uma coisa relativa".

Ex-funcionário que foi para a Colômbia:
"O país mudou mas os problemas continuam."

Mandei um email à NET pedindo para mudar meu serviço do meu endereço atual para um novo. Reponderam (por escrito!)
"Prezado Sr. Marcos, Recebemos seu e-mail, porém não foi possível entender sua solicitação. Por gentileza, informe-nos em que podemos auxiliá-lo. Certos de sua compreensão. Central de Relacionamento Net" (sensacional)

Alguém me ajudando na mudança de apartamento:
"Essas chaves todas aqui... de repente seria melhor não deixarem elas serem encaixotadas junto com a mudança." (brilhante)

terça-feira, 29 de julho de 2008

Trabalhemos!!

... saiu a convocação para nossos colegas e clientes

http://brasil.infomine.com/news/editorials/aestado/2008/0001816.asp

Estou totalmente insano - fazendo mudança em dois dias, malas para viagem, nem vou escrever, pois tenho que correr para casa.

Fui!

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Estudar no Bandeirantes é padecer no Paraíso

Ontem à noite vendo reportagens sobre Comunidades on-line em que as mães dizem que Ser Mãe é padecer no Paraíso, porque os filhos adolescentes são terríveis.
Automaticamente me veio um trocadilho extremamente infame, que não sei como não pensei nisso há 25 anos atrás. Como o ônibus que leva os passageiros da Av Rebouças até a Estação Paraíso do Metrô, onde fica o Colégio, (... não xinguem)

"Quem vai estudar no Bandeirantes é pá-decer no Paraíso"

Que segunda feira brava. Um sol bonito e um aeroporto pronto para receber meus filhotes que vão agora para SP ficar uns dias antes de embarcar de volta pra Florida. Haja coração.

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Tem gente mirando nos nossos fundos

A quem se interessar segue abaixo uma lista interessante para as próximas eleições

http://www.amb.com.br/portal/

http://www.amb.com.br/portal/ambdebate/todos_can.asp


Quem devemos temer mais? Os políticos que querem "o deles" ? (que nada mais é que o dinheiro da minha poupança)

Os estrangeiros que querem os juros altos ? (E os Bancos que são os proxenetas do Governo)

Ou o vizinho nosso que não mexe a bunda para se manifestar contra os espertinhos (ambos)?


Ontem no Mineirão um espertinho tentou furar a fila. Eu chamei a atenção dele e mandei-o para trás. Ele disse que estava só contando o dinheiro, não estava na fila. Que estava do lado de fora da fila, só esperando. (sei! rá rá rá. ) Depois várias pessoas falaram comigo, isso mesmo, o FDP vai chegando como quem não quer nada, e entra na fila. Então porque ninguém fala NADA???
Falta coragem de dizer ao outro que não roube o seu lugar?? Falta coragem de mandar o político devolver o dinheiro roubado e se retirar do Congresso??

País de bunda-mole. (com execeções - parabens a elas)

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Espionagem da janela


Tem umas pessoas numas balancinhas jogando água na minha janela. Deve ser mais um complô do Governo. Estão procurando um jeito de garfar mais do lucro da empresa, ou somente do faturamento? Esse sócio é ótimo: nada agrega, só atrapalha o sucesso da empresa, e morde a parte dele SEMPRE!
Para gastar com políticos que "trabalham" dois dias por semana, tem um bando de assessores, nomeiam a torto e a direito, e roubam o que podem, a título de criar leis que os impeçam de serem presos. Só isso. Votarei NULO nas próximas, Bando de vagabundos!! $#@@#$$#@%¨¨&
Quem sabe hoje levo meninos ao Mineirão ver Cruzeiro e Goiás. Um pouco de gritaria faz bem.
Graças a muito esforço dos bons e ótimos, e até os excelentes profissionais da GEMCOM, em todos os níveis (CEO, CFO, técnicos e contadores, etc) e em todos os países, ela foi muito bem avaliada e muito bem comprada pelo Carlyle e parceiros. O Grupo Carlyle, capa da EXAME, tem nos bolsos dinheiro suficiente para comprar uma boa parcela do Brasil.
Tem outros Fundos com a mira em nosso país. Diz um amigo meu que a Suíça já foi 50% comprada pelos Sauditas, tem mais gente de turbante nas ruas do que os tradicionais Europeus.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Segunda brava


Meu filho me joga no almoço que fizeram uma blitz na delegacia e roubaram armas e mataram um policial. Não deveria ser o contrário?


Depois vem um artigo do Dalmo Dallari em 2002 denunciando as falcatruas do Gilmar do STF. Macacos me mordam! diria o Batman (ainda estou impressionado com o Coringa, excepcionalmente interpretado por um ator que morreu e não dei um google nele para conhecê-lo)


Minha terapia do hoje foi uma desgraça. Acabei cedo, e disse que não tava adiantando nada. Ela dobrou a dose do remédio (ótima essa! enfia droga na cacholinha dele)


Meu olho direito não para de piscar, mas segundo a médica, é cansaço. Não é tique como do Bruce Willis em "Duas Vidas", devido à falta de psicanálise.


Vai indo que não vou, acho que não estou a fim de chegar na terça feira esta semana.


domingo, 20 de julho de 2008

não ganhei na MEGA SENA

Olhando para o que a vida me proporcionou, me permitiu estudar no ITA, morar em vários países, ter filhos lindos e inteligentes e bem sucedidos na escola, amigos com quem eu posso dividir os bons e maus momentos, uma família que está lá para mim... sem falar na cidade legal que eu vivo, o emprego sensacional que eu tenho, e a lucidez para conseguir se dar conta de tudo isso... cheguei a conclusão que ganhar na MEGA SENA duas vezes seria pouco provável.

Não ganhei na de ontem então. Meus confres estão aliviados de R$25 milhões.

Flora foi para SP sozinha de avião, só de pensar que poderia acontecer algo com ela, fiquei sem ar, mas depois me conformei e aceitei o que quer que a vida quisesse me dar - pois não há outra alternativa. E o telefonema dela quando chegou foram as palavras mais doces que alguém pode escutar, de alguém que a gente ama muito respirando gostoso em outro lugar, bem e feliz.

Pedro fica aqui comigo e repassamos Pink Floyd, Journey e outros conjuntos, ele descobrindo que uma guitarra e um teclado MUSICAL (não de computador) são diversões ótimas também. Arrumo o armário para ter mais espaço para amplificadores e cabos de baixo, microfones e violões.

Revejo o email e os blogs. Pego uma receita com minha avó, de picadinho de carne com batata, cebola e tomate. Vamos almoçar em casa. Bom jeito de curtir o domingo. E com um Chivas no gelo.

Abcs

sábado, 19 de julho de 2008

Os outros blogs nos inspiram

Olhando aleatoriamente outros blogs de gente por perto, peguei um texto e virei do avesso, para refletir meu estado de espírito. Ficou assim:


Ando precisando de sono.
De poder ficar sem ler por longas horas;

sem email, revista, jornal, blog, documentos, atas e contratos.

Ando precisando de um final de semana sem show para ver.

De um fim de semana bem longe de casa, isso admito.

Preciso de ócio sem culpa.Lavar mais louça.

Dar umas broncas na minha mãe, por telefone.

Sair na rua sem trânsito, mas com muito vento.
Forte.
Ando precisando tempo para usar uma câmera nova, para ouvir os CDS novos que comprei e estão perdidos pela casa, de ficar quieto.

Ando precisando querer dormir do lado de alguém.

Ando precisando voltar para o mundo dos sonhos, lá pescar idéias e esperanças.

Um tempo sem ler as notícias...

Só prá sentir o respirar da gente.

Batman e com grana


Surpreende o filme. Adulto, emocionante, um thriller mesmo. Difícil não torcer para que cada soco do morcego seja forte mesmo, que desça o pau e quebre todos os ossos dos malvados, que estão sensacionais. Mas longo - dificil de acabar.


Fico chocado, que entre uma fatia de pizza e um gole, meus filhos me contam que o herói do filme (o ator que faz o Coringa, espetacular e nojenta interpretação) faleceu duas semanas depois de terminar as gravações. Um diz que foi suicídio, o outro, overdose acidental. Que pena mesmo.


Peguei os números da MEGA SENA. Estou fazendo aquele suspense para olhar. 25 milhas.

Uma leve taquicardia. O que eu faria? Daria muita risada. Acho que colocaria o tutu no banco e não mudaria nada, por uns tempos. Que responsabilidade, ser sorteado com um prêmio desses.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Grand Theft Auto IV (4) de sobremesa


O jogo de roubos de carro que meu filho detona, é fabuloso no XBOX360. Ontem ele pegava bazucas e explodia helicópteros, colocava garotas de programa no carro para receber "serviços", derrubava dúzias de mafiosos russos para resgatar o primo sequestrado. Ele argumenta que isso não leva a molecada a ser estressada nem ter mente criminosa, me mostra vários artigos médicos e argumenta. Eu mostro outro, com opinião contrária, que comprova que a taquicardia que me dá jogando Gears of War não é uma coisa boa. Talvez quando eu dominar o jogo e os controles, o uso da moto-serra para decepar membros dos inimigos seja um stress-reliever.


De volta à realidade, fico feliz de ver as notícias dos presos milionários. Talvez os repórteres sejam o maior agente de mudanças de um país, lado a lado com a polícia. Um sem o outro não teria tanto impacto. Desde Watergate.


Mais sobre carro roubados: Honda CIVIC 1995 é disparado o mais roubado, de fato, nos EUA.


E o novo 2009 Volkswagen Tiguan (mistura de Tigre com Iguana) é lindo e desejável. Mas fico com meu Corolla por uns tempinhos ainda, pois passo 5 min dentro de um carro por dia, Haleluia!, pois decidi morar mais perto de onde trabalho.


A Taróloga da minha namorada disse cada coisa que me impressionou... quase caí duro. Mas é tudo bom. Tenho um "darumá" com um olho pintado, que pelo jeito loga vai receber o outro olho, se estas profecias se realizarem.


Esta sexta promete... e ainda nem tomei minha "happy pill" do dia (e que não é Prozac).


Abraços a todos.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Quinta quase sexta

Esse é de fato um olhar crítico, meio que com sono e meio que pasmo, diante das notícias. Um amigo do tempo do ITA escreve no blog dele que "... Gretchen (sim, aquela mesma!) vai fazer tudo para desbundar a prefeitura de Itamaracá, em Pernambuco." Linkei o blog dele aqui do lado, Biscoitos com pipoca.

Esta semana um dos CD's mais ouvidos no meu carro, pelos meus filhos, é um extra-brega compilado pelo JPPC, como se fosse "As mais tocadas no iPod do Renato". Contém Conga da Gretchen, além de Não se vá, com Jane e Herondi. Impagável. Sem falar no showman do Sidney Magal. Que produto perfeito e bem-acabado para o que se propôs, na época, matando no mercado das gutchas. Comentamos no final de semana passado, eu e meus primos aqui em BH, sobre essas pérolas que agora ficam imortalizadas com a tecnologia de gravação digital de músicas. E espero que passem para a próxima geração - tenho certeza de que Flora e Pedro um dia pegarão e mostrarão para seus filhos: "Olha que inhaca que o papai ouvia quando era criança!"

Falando de emprego e business, soltamos um press-release hoje que 95% dos acionistas da GEMCOM votaram a favor da venda da empresa para o Grupo Carlyle. Um tremendo passo. Uma coisa é você ter uns 50 acionistas com uns milhõezinhos investidos de cada um. Outra, totalmente diferente, é pertencer a um grupo com mais de US$80 bi em ativos.
Vamos crescer muito, e continuando com essa sorte, sendo muito felizes, eu e a GEMCOM, meus amigos filhos e primos, em BH.

Agora trabalhemos pois não chegou nem a sexta nem o FDS...

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Visão Política resumida e objetiva

Use o link e faça o teste

http://veja.abril.com.br/idade/testes/politicometro/politicometro.html

Eu sou CENTRO DIREITA LIBERAL

Mais uma frase dos meninos:

"Você acaba descendo o escorregador com a cabeça na frente uma vez só."

terça-feira, 15 de julho de 2008

Acredita que não estamos a sós no Universo?




Mandam-me um vídeo do OVNI em Honduras.
Parece aeromodelo com mini-jato propulsor e controle remoto.
Haja fé.

Conduzo uma reunião difícil com um cliente, que se recusa a entender as etapas e dificuldades de um estudo de escopo, para que os requerimentos de um sistema a ser desenvolvido traga o retorno do investimento que o justifique para o Presidente da Empresa. Volto com quase dor de cabeça.

Leio páginas do livro "Really important stuff my kids have taught me". Adoro.
Infelizmente a sabedoria do livro é tão infantil e meus filhos sempre foram tão adultos e crescidos, mesmo pequenos, que sinto falta deles não terem expressado essas coisas de sabedoria popular infantil. Mas talvez tenham pensado. QUero acreditar, pois é tão divertido ser criança e pensar assim. Vai que não me lembro. Como por exemplo:

"... às vezes a gente encontra as flores mais bonitas quando sai para procurar cogumelos no jardim. E pular nas poças dágua significa que você vai passar o resto do dia com os pés molhados, mas de repente vale a pena mesmo."

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Por quê carregamos na carteira?


A pergunta poderia ser "o quê", e voces veriam isto.
Dispensa texto.
Bom final de semana.
Marcos

quarta-feira, 9 de julho de 2008

O lixo das quartas-feiras


Triste. Hoje coloco o lixo reciclável para ser recolhido no prédio.

Mas no caminho para o trabalho, vejo três pessoas em três diferentes esquinas, abrindo os sacos de lixo, sentados no chão, procurando algo para comer, vender, trocar. Depois fechando.

Na natureza existem as espécies que limpam a terra - abutres, hienas, larvas, etc. Triste ver que uma raça tão evoluída participe desta etapa da cadeia alimentar. Deve ter algum motivo. Imagino o estado meditativo do cidadão (que talvez deva ser chamado de invidíduo, pois se fosse cidadão de alguma cidade decente, não teria que se rebaixar a esse ponto) realizando tal tarefa.
Talvez tenha uma enorme paz mental. Uma vida mais simples impossível. Não que eu a deseje para ninguém. Mas quem sou eu para ter pena de alguém? Não é pena não. É espanto e compaixão que sinto. E como já refleti antes, por algum motivo aquela alma queria passar por isso.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Disseram para mim "Eu sei que não existe, mas torço para que exista"


Não é bem assim. Tem outras coisas. Uso "tem" para não dizer "existe", e "coisas" porque nada neste mundo do visível e do que existe pode descrever o que "tem" do outro lado da vida ou do Universo visível.
Há uns tempos, discuti com colegas agnósticos - que não acreditavam em nada do que não vissem e pudessem tocar.

Alguns acham que não existe nada além do que se pode ver. Eu rebatia que a dúvida já está errada, pois aquilo sobre o qual estamos falando, ou pensando, o "outro lado" da vida, TRANSCENDE o plano de existir não existir. Nem é, nem não é, pois é e não é, e nem é nem não é.


Aqui estamos no plano dos opostos, do vivo e morto, da luz e escuridão, som e silêncio, masculino e feminino, bem e mal. A parte e o todo.


Vou aproveitar que meu filho está aqui e já jeu muito sobre o Big Bang e o tempo.


O que me interessa não é o conjunto do que existe e o que não existe.

Quer discutir sobre o que não está em um estado de existência nem de não-existência. São coisas que fica difícil entender ou pensar pois transcendem o próprio pensamento. O Stephen Hawkins tenta resumir o momento da criação em um BIG BANG...mas não consegue explicar nada antes disso, pois não havia o Tempo. Que só pode existir quando tem espaço, pois se mede o tempo com movimento, indo daqui para ali.
Tempo é tudo para nós. E a dualidade ou separação entre os opostos, é descrita em todas as mitologias e filosofias. Olha a analogia entre a Criação do Universo e a Criação do Seu Universo, como observador: você vê um mundo, eu vejo outro, certo? Uma formiga vê outro, uma pedra vê outro Universo.

Passamos a definir um Universo quando nos separamos dele, certo? O Universo absoluto deve ter sido criado quando Tudo-o-que-é-e-que-não-é se separou em Tempo e espaço. Aí começou o tempo. Da mesma maneira, quando nós, os observadores, nos damos conta que somos uma parte do todo mas que pode ser definida à parte desse todo, passamos a existir como indivíduos. Daí veio o "Penso, logo existo." Certo?


Tem uma Scientific American na minha escrivaninha para ler, sobre todas as teorias e como elas criam o tempo-espaço. Acho que nessa vida não vou conseguir ler e entender.


Poucas coisas me retornam: a Teoria "M", das cordas, veio propor que existem 11 dimensões e não 4, para o Universo, concluindo que devem existir infinitos outros Universos paralelos, como se fossem planos flutuando em um continuum de 11 dimensoes.


Quem sabe um dia a Ciência nos dê mais bases para saber através da lógica, coisas que nós sentimos como sendo um "cheiro" extremamente tênue e distante, que nem temos linguagem e termos precisos para descrever e discutir. São coisas que de certo modo a gente "sente", ou "intui", ou "sabe" de uma fonte do fundo da alma, ... e que às vezes se mostra num 'flash' que parece nao ter vindo de lugar nehum mas que está dentro de tudo, quando a gente ouve uma música, lê uma poesia, vê uma pessoa ou uma situação.


Quem sabe o Superhomem nos explique um dia.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Além da Palavras


Certa vez estava Buddha sentado sob uma árvore, com os seus discípulos reunidos à sua volta esperando que ele iniciasse seu discurso. Em determinado momento, Buddha calmamente inclinou-se e colheu uma flor. Levantou-a à altura de seu rosto e girou-a suavemente. Seus discípulos ficaram espantados e confusos, e murmuraram entre si questionando o sentido daquilo. Dentre eles, apenas Kashyapa entendeu o gesto, sorrindo. Shakyamuni Buddha percebeu que Kashyapa tinha compreendido, e lhe disse:"O método de Meditação que ensino é ver as coisas como elas são, nada rejeitar e tratar as coisas com alegria, vendo claramente sua face original. Esse Dharma misterioso transcende a linguagem e os princípios racionais. O pensamento lógico não pode ser usado para obter a Compreensão; apenas com a sensibilidade da não-mente alcança-se a Verdade. Vós compreendestes. Por isso, concedo-lhe a partir deste momento o espírito do Dhyana."


No post de hoje, apenas a imagem da minha Flor(a).

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Prove-me que Deus existe


Alguém me disse:


"Eu gostaria de acreditar que existe algo mais. Mas é impossível. Nada do que não posso tocar existe, mas essa mesa existe. O resto é b/s."
ou algo parecido com isso.


Interessante como o tema é recorrente, e muitas pessoas debatem essa pergunta. Claro que já debati e estive na mesma sinuca, por enquanto estou fora dela, sem me considerar melhor que ninguém que pode estar nela, e não nego que pode-se voltar para a tal situação, independente de fé ou religião. And for the record, religion is not the point.

Vivem dramas em suas vidas, alguns de nós, pedindo que a explicação venha de fora.

Acho que podem debater por séculos, e se não encontrarem a resposta (desculpem o que parece um clichê) que vem "de dentro", jamais a aceitarão. (a explicação ou justificativa que vem dos outros)

Se fosse provável, demonstrável ou justificável, uma resposta calculada em uma equação com entradas fidedignas e operadores inquestionáveis, que valor teria, para começar? E seria intrinsecamente inconfiável: imagine que você viva dentro da "Matrix", como um programa. Usando as ferramentas de dentro da Matrix, voce poderia construir equações que provavam que você era um ser livre e que a Matrix era o mundo externo - pois foi criada assim.
Qualquer demonstração tem que poder ser questionada e tem que poder ser errada, senão não careceria de demonstração - seria um postulado, hipótese, axioma, paradigma, sei lá que mais nomes temos para "verdades" a serem aceitas sem questionamentos.

Vejam o debate no link da Amazon:

http://www.amazon.com/tag/religion/forum/ref=cm_cd_pg_newest?%5Fencoding=UTF8&cdForum=Fx417AUXOWKSRN&cdPage=1&cdSort=oldest&cdThread=Tx2LD4PR7U43XRK&displayType=tagsDetail

Acho que vou postar no meu Blog, foi o que disse ao amigo.


Começa assim o post na Amazon:

"I have studied most major religions but I have yet to find any convincing evidence that a supreme being exists. Don't get me wrong, I would love to believe that we are living this life for a reason.Unfortunately, if we were created by a god then he/she made me far to skeptical and analytical to believe anything without proof. If someone can convince me that there is any validity to religion I have a feeling it would fill a large void in my life and put an end to a lot of sleepless nights. No flames or personal attacks please.. Just try to keep it to factual tangible evidence not "My parents, cousin, dog, friend, etc.. said it's true so it is"Yeah, I know this is the goldbox forum.. So maybe amazon can suggest a good book or DVD that will answer all my questions! "


A. B. Coleman says:
Tangible evidence? Faith is what you make it, reality is how you take it. Historical accounts, which is what most any religion comes down to, are subject to translation, interpretation, editing, deleting. Scientific evidence of a higher power? Why has the earth's magnetic field not flipped in 780,000 years? Who's to say that God's timetable works in the conventional ways we've interpreted it? Who's to say that breathing life into the dust didn't require evolution? Faith is believing, not seeing. Religion is just a vehicle for humans to interpret the circumstances of spirit. Questioning yourself is the first step.


e aí tem 2097 posts em resposta, um a cada 7 segundos, em média.
É possível se fazer tal demonstração? Seria a mesma válida, uma vez que utilizamos o que nos foi dado pelo Criador? Seria possível demonstrar o contrário? Então poderíamos ter recebido as instruções para fazê-lo, pois o Criador não queria que descobríssemos que existe algo mais.
Porque o "arquiteto" quer que saibamos da "Matrix"?
Quem mandou tomar a pílula vermelha?

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Globalização na veia e no dia a dia


Lendo artigo sobre o Investment Grade atingido pelo Brasil, na revista da Câmara de Comércio Brasil Canadá, aprendo que o OTPP investe quase 10% dos fundos no Brasil, por exemplo na Multiplan, que investiu R$150 milhões em quatro shoppings. Pasmem: OTPP é o fundo de pensão de Professores do estado de Ontario.


Aprendo também que vivem hoje uns 15 mil urso polares, espécie ainda não ameaçada de extinção, pois seu número cai bem devagar. Mas estão precisando de planos para preservá-los.


Embora o Canadá seja maior que o Brasil, com 53% da superfície do país coberta por árvores em florestas boreais, 9 mil km2 delas são cortadas, liberando 36 milhões de toneladas de carbono. Bonito, não?


Estou ficando assustado com inflação no Brasil, para fechar o assunto. Dois sintomas: empregadas domésticas e diaristas (estou sem apoio em casa hoje, fixo) pedindo mais pela diária, e aumento de oferta, causado talvez por demissões de pessoas que não conseguem mais manter um funcionário doméstico pela alta do salário. Está configurado o dragãozinho.


Sabe aquela véspera de maxi? Aquele suspense pairado no ar, a sensação de que você tem dinheiro no banco mas que de um dia para outro pode não valer nada? Traumas de planos Collor, Cruzado, Cruzeiro, sei lá o que mais. Quem nasceu nos anos 80 nem sabe o que é isso.


E o dólar americano não é mais lugar para a gente correr. Se vier maxi, vai ser de Euro...

sábado, 14 de junho de 2008

Somos abençoados pelos desafios


Fico quebrando a cabeça para aprender a mexer com os "strings", superfícies e volumes do SURPAC, um software nosso, que na verdade não é difícil como um outro, para geologia e lavra de depósitos estratigráficos, um tal de MINEX. Esse é complexo. Pois é, tenho meus desafios.

Mas semanalmente um colega nosso lembra dos desafios de um dos maiores gurus do MINEX, que sofreu um aneurisma múltiplo e entrou em um estado quase vegetal.


Os emails vêm assim: "To update you on Pat’s condition:
- The physical therapy is producing good results! He is able to move his head from side to side and backwards and forwards, which is a big improvement from a week ago
- He is also beginning to move both his left arm and his left leg
- And most exciting of all: he can brush his own teeth and wash his own face now!
- They have begun to feed him yogurt and pudding, and he is able to digest them both
- He is able to sit up on the edge of his bed and in a chair for hours at a time

His improved condition is a direct result of your prayers and support, so please continue to remember him from time to time."


Ou seja, não tem como não se comover com o progresso de alguém em conseguir mover um braço ou engolir um iogurte. E escovar os dentes. Coisas que não damos nenhum valor no dia a dia. Minhas preces estão com o Pat.


Em tempo, postei aqui uma foto do novo Buddha que comprei em Ouro Preto, vindo das Filipinas. Fiz um pedestal para ele, cobri com uma orquídea e deixei a cascata atrás. A vela ilumina a noite dele, assim como ele me ilumina a mente durante os dias.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Síndrome da Sexta-Feira pré férias

Mesmo que seja apenas uma semana ou poucos dias de férias. Porque todos os funcionários, clientes e chefes vêm amarrar macaquinhos na sua cadeira bem nessa hora?

Ainda mais sexta-feira 13.

Saí da imobiliária com vontade de rasgar a proposta de um apartamento, tamanha a burocracia solicitada. Deixa prá lá, pense que será muito bom quando você estiver morando no futuro apartamento. Encontrei um que tem três salas do tamanho da minha atual. Dá pra jogar golfe dentro dela.

Amanhã chegam meus meninos, da Florida, a sensação de saudades de um pai seria amortecida pelo desejo de vê-los fortes e independentes, ou pelo esgotamento mental e emocional das últimas semanas?

O pescoço e costas curvas, sentado ao laptop tentando me desvencilhar dos micos e poder ir para casa arrumar as malas.

E ainda tinha o blog para atualizar.
Dureza.

terça-feira, 10 de junho de 2008

Oportunidades a Mil


Empregos e salários têm expansão


Bens de Capital puxam o setor no país


Volume recorde de postos de trabalho


A cada minuto aparecem novas demandas, amigos acenam com planos de negócios aprovados, com financiamento, com o comprador fechado na ponta de vendas da futura empresa, com o fornecimento de insumos garantidos, tudo esperando: alguém que "toque" o negócio.


Sintoma natural, de um país que peca por não desenvolver profissionais suficientes para a demanda. Falta gente no nível técnico. Gerentes e executivos, então, reclamam por estarem sobrecarregados.


Difícil delegar para ranqueados que ainda não têm a experiência ou conhecimentos necessários para tocar o barco com menos supervisão.


Há tempos não via isso. Meu dilema sempre foi na direção oposta: quanto mais se sobe, menos opções se tem. No alto das pirâmides empresariais, sobravam executivos e faltavam cadeiras. Acho que isso acontecia pois o crescimento da base superava o da economia, o crescimento da demanda. Parece-me que agora isto se inverteu.


Não passava uma semana sem que empresas com engenheiros, geólogos e técnicos não sofriam um ataque dos concorrentes ou clientes para levar seu pessoal. Agora o ataque é nos executivos.


Interessante observar um pouco mais os detalhes e entender para onde estamos indo. O que você acha?

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Reativação das listas de email dos colegas de faculdade


Depois do estrondoso sucesso da reunião de 25 anos do Colegial, em SP, lamento o fato de eu não ter ido ao encontro de 20 anos de formados no ITA.

Mas temos um grupo no Yahoo e agora estou escrevendo esporadicamente para o grupo, e convidando meus colegas de faculdade a visitar este blog.


Em tempo: enviaram-me uma foto de 25 anos atrás dos amigos do Colégio. Como éramos tão jovens, tão confiantes no futuro, com tantas possibilidades, e tão ingênuos. Sabíamos tão pouco e pensávamos poder tudo. Agora sabemos muito mais, e acreditamos e sonhamos muito menos. Sentimo-nos enjaulados por nossas escolhas. Fomos livres por escolher, é verdade. A liberdade implica em exercer uma escolha. Se queremos ter as opções todas abertas, e não nos comprometermos com nada, é porque estamos presos ao um conceito de "liberdade" que significa não fazer escolha nenhuma. E não sei pra que serve esta liberdade que te impede de fazer as escolhas.

Muita filosofia para uma segunda feira. Ok, vamos trabalhar.

domingo, 8 de junho de 2008

Desafios extraordinários produzem pessoas extraordinárias

Ontem fui ao supermercado e levei as minhas já tradicionais sacolas de pano. Minha namorada torceu o nariz, dizendo que embora tenha a consciência, não participa deste tipo de iniciativa pois não crê.

Foi entrar no supermercado e uma senhora comentar para a outra : "Olha, já estão fazendo aquele negócio para econmizar sacolas plásticas!"

Achei ótimo. Era como se alguém tivesse descoberto que usar chapéu salvasse do câncer de pele, mas estava todo mundo esperando alguëm sair de chapéu na rua, dando permissão a todos os outros, dizendo que agora era oficial, que já podia ser implementado.

Risos, risos e mais risos. Este post não requer foto. Vou lá arrumar a cozinha para um bom Shitake na manteiga com mini-filés de picanha temperados no Zatar árabe e suco de laranja.

Em tempo: no CD "Dom e Juan", dupla sertaneja, escuto uma versão brega da música do também brega Christopher Cross ("I will never be the same"). Gravação e arranjos até que decentes. Bom com uísque e agua perrier. Bom Domingo.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Quantos fazem a diferença em sua empresa?


Será que o planeta em que vivemos ainda sobreviverá? A Amazônia pode ser salva?

Às vezes me espanto vendo quanta coisa aparentemente perdida, melhorou. A poluição dos carros, com as novas tecnologias, pode um dia ficar mínima, comparada com os anos 70.
E quantos policiais fazem o trabalho direito. Falta os juízes ajudarem um pouco mais.

Diz a lenda que ainda existem por aqui 1 milhão de seres humanos do bem, justos e corretos, que seguram a onda dos outros 6 bi.

Um amigo meu, Ricardo, escreveu: "Verdade ou não, eu realmente acredito que um punhado de heróis rebeldes e mal equipados, revolucionários e bem virtuosos, conseguem fazer a diferença, seja para o bem estar de um planeta inteiro ou para o sucesso de uma pequena empresa. "

Eu acredito. Olhe à sua volta e conte quantos tocam o barco. Verá que a maioria balança os remos no ar, ou nem isso. Fico orgulhoso dos poucos, e de mim mesmo, que é o que importa. Agradeço a visão que recebi, por ter vivido boa parte de minha vida deste jeito. Houve épocas em que levantei o remo, ou que remei para o lado errado, e não cri no rumo.


Uma Nova Esperança.

"Tamanho não importa. Olhe para mim. Você me julga pelo meu tamanho? Bem, você não deveria. Porque a Força é minha aliada, e poderosa ela é. A Vida a cria, faz crescer. A sua energia nos cerca, nos une. Seres Luminosos nós somos, não essa matéria rude que você vê. Você precisa sentir a Força ao seu redor, aqui, ali, em torno de nós, a árvore, a pedra, em todos os lugares. Inclusive entre eu e a nave."
Yoda, Mestre Jedi de 800 anos de idade, Star Wars Episódio 5 O Império Contra-Ataca, 21 de Maio de 1980. Que a Força esteja conosco.