sábado, 12 de junho de 2010

Vou me embora pra Pasárgada ou BH?

Vou me embora para Belo Horizonte.
Lá sou amigo do Adley, do Alfredo, Steve, Mário, Vavá, Juliana, Aline, Ivana, Márcia, Dudu, Chico, Sérgio, Thaís. Tenho TV de Plasma e Piano. Cama Super King.





Vou-me Embora pra Pasárgada
Manuel Bandeira

Vou-me embora pra Pasárgada

Lá sou amigo do rei

Lá tenho a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada

Aqui eu não sou feliz

Lá a existência é uma aventura

De tal modo inconseqüente

Que Joana a Louca de Espanha

Rainha e falsa demente

Vem a ser contraparente

Da nora que nunca tive

E como farei ginástica

Andarei de bicicleta

Montarei em burro brabo

Subirei no pau-de-sebo

Tomarei banhos de mar!

E quando estiver cansado

Deito na beira do rio

Mando chamar a mãe-d'água

Pra me contar as histórias

Que no tempo de eu menino

Rosa vinha me contar

Texto extraído do livro "
Bandeira a Vida Inteira", Editora Alumbramento – Rio de Janeiro, 1986, pág. 90

5 comentários:

Jou Jou Balangandã disse...

BH uai!
Que assim como seus amigos, te recebe sempre de braços abertos!
It´s my pleasure to see my name in the wall of fame!

Bjoujous

paula barros disse...

Marcos

Lembrei que hoje, dia dos namorados, faz um ano que andando nos blogs pela madrugada achei o teu blog.

Ás vezes transformo em texto, e olha o que escrevi na época. E hoje, um ano depois, sorrio.

--------------------------------

Era uma vez .....

Um coração solitário, que na madrugada do dia dos namorados estava passeando por sítios desconhecidos, sem medo ia de um lugar para o outro.

Encontrou algumas palavras conversando, viu que o dono delas tinha um sentimento imenso, muita verdade. O coração saltitou. Logo correu para conhecer o dono daquelas palavras. Quando naquela casa entrou sentiu algo muito diferente, muito estranho. Tinha sentimentos por todos os lados, espalhados pelo chão. As cortinas eram emoções. Os lustres tinham luzes coloridas. Fotos dos filhos na parede, um ambiente familiar. Um quarto de música. Muita experiência de trabalho. Tinha vida naquela casa. O coração solitário escutou um coração que batia igual a ele. O coração arco-íris, tinha cor, tinha brilho, tinha pulsação, tinha vibração, Tinha vontade de ser melhor. Desejos de amar e ser amado. Tinha generosidade.

O coração solitário sentiu aconchego.

-------------------------------

Que seu coração arco-íris esteja repleto desse amor universal e incondicional, aconchegado de amigos.

abraço

MR disse...

coração arco-íris??

eSTAVA EM sp MAS NAO FUI NA PARADA gAY.

Sem preconceito, nao eh minha praia.

Bjs

paula barros disse...

O que é entendimento, não é mesmo Marcos. Nem pensei em parada gay.
Na primeira vez que tive em seu blog, achei um blog que me passava muitas energias boas, como digo no mini texto.

Mas se seu entendimento foi esse, desculpe.

MR disse...

Hahaha desculpe nada, foi bonitinho.

E de vez em quando vou me embora para Sampa tambem, la tenho muitas mordomias tambem.