sábado, 18 de junho de 2016

O homem está condenado. Se é para nossa civilização sobreviver...





"Eu sei e posso. Só não quero mais voar

Eu não sou mais tão ingênuo

Permitam-me procurar a melhor parte em mim

Eu sou mais que um pássaro... Eu sou mais que um avião

Mais que um rosto bonito ao lado de um trem

Não é fácil ser... eu

Queria poder chorar

Cair de joelhos

Achar uma maneira de mentir

Sobre um lar que eu nunca verei"
(trad. Superman  - It's not easy - Five for Fighting)

Pode parecer absurdo, mas precisam escrever. Nossa geração ainda tem o superhomem como ideal. Não sabem que até mesmo heróis têm o direito de sangrar. De sonhar. De poder dormir profundamente a noite.

Esse aí é só um homem com um lençol vermelho engraçado.
Zarathustra atribui à civilização de seu tempo a tarefa de preparar o vinda do Übermensch, o Superhomem do escritor e filósofo Nietszche.
De certa forma, os desafios que nos foram repassados, assim o requerem. Se é para nossa civilização sobreviver... talvez só com um milhão desses.


Nenhum comentário: