sábado, 27 de junho de 2009

O amor

Relato de um passageiro do onibus:

"Volto para casa muito sobrio, um whisky por semana foi a dose acordada, subo as escadas para o meu apartamento.

Entro devagar, entro no lavabo, olho lentamente para o espelho e reflito. Penso no seu rosto, nos seus olhos, na sua boca, na sua risada. Penso no que sinto. Penso nas consequencias.

Foi como um caminhao desgovernado passando por cima do muro e entrando pelas paredes da sala, de repente, sem que nada pudesse impedir. OLhei para o relogio, 1:55 da matina, para lembrar o dia e hora, para colocar na minha agenda, ou para lembrar depois do agora que virou ontem.

Encostei as maos na parede e abaixei a cabeca. As coisas nao seriam mais as mesmas. Via duas rotas. A da alegria infinita, do oasis no meio do deserto, lindas cahoeiras, frutas deliciosas, passaros e sombra, ou a angustia do afastamento da pessoa amada. O que aconteceria de hoje em diante? Nao sei, nao importa. O importante e' estar aqui.

Ha muito tempo que estas portas estavam fechadas para mim, um escudo se instalou, bloqueando meu coracao e o protegendo, e nada conseguia faze-lo se abrir. Pedi muito a Deus, as energias do Universo, ao meu Buda interior, derrubar essa porta, me abrir. Com a ajuda de pessoas especiais, aprendi a concentrar-me na minha INTENCAO, e essa intencao foi espalhada pelo eter... e aconteceu o que aconteceu.

De repente todas as bobagens que atrapalham nossas vidas voltam a ser o que realmente sao: bobagens. De repente deu a vontade de fazer planos de construir uma casa nova. De rir como palahaco sem motivo nenhum. De repente as paredes de cor insossa da minha casa deixam de ser muralhas de pedra musgenta e umida, de masmorra.

Vejo um sorriso, vejo os olhos mais lindos que essa face da terra ja viu, lembro de um perfume que me deixava bebado a ponto de querer fechar os olhos quando caminhava segurando sua mao no meio da multidao. Vem um tesao pela vida, junto com o tesao por ela, uma vontade sem fim de ficar junto e tocar cada ponto de seu rosto, respirar o mesmo ar.

As coisas ficam faceis, respirar fica leve, medo e duvida vao embora.

Acendo um incenso, hora de agradecimentos e meditacao, para ser o melhor que posso para esse amor, viver intensamente este momento com meu coracao regenerado.

Obrigado ao Universo que me trouxe ate aqui, e aos pensamentos e energias de todos que me ajudaram mandando o caminhao."

Nada como um sabado para ouvir e tocar. Os vizinhos que reclamem do barulho.

6 comentários:

paula barros disse...

Passando rápido, volto para ler com calma. Vou assitir a audição de minha sobrinha-afilhada 17 anos que vai cantar.

Agora quando vejo ela e entro no quarto dela lembro de você, piano, violão, teclado, guitarra...e a tia pede para fechar a porta.
rsrs

bons sons para você, inclusive os sons do coração e da alma.

MR disse...

Obrigado Paul.

Hoje ja fiz um estardalhaço com a Bateria, com o piano, s[o faltou ligar a guitarra.

Beijo pra voce e bom FDS.

paula barros disse...

Oi, voltei. 4 horas de audição, ela cantou muito lindo, surpreendeu a família toda.

Que relato!!!! De suspirar. É bom sentir isso tudo. Eu ia dizer que é melhor ainda quando é recíproco. Mas sentir, para quem já teve o coração com escudo, bloqueado, é bom, dá energia.

Gostei dessa frase:
"As coisas ficam faceis, respirar fica leve, medo e duvida vao embora."

Foi feito disse por aqui uma vez, as vezes colocamos tantas dificuldades, mas quando nos sentimos assim, a coragem vem junto.

Imagino o estandarlhaço rsrsrs

beijo prá você tb e um ótimo domingo.

Maldita Futebol Clube disse...

sUPONHO A BARULHEIRA, MAS UM COPO DE WHISKY APENAS POR SEMANA O ACORDADO, QUEM DEIXOU? RS QUE O ROCK ENTRANHE NO CEREBRO E NO CORAÇÃO DE SUAS POTENTES INSTRUMENTALIZAÇÕES...RS ABS, LEANDRO

Luz disse...

Mr. MR

Nada como abrir a porta. E essa porta tem a fechadura do lado de dentro, do seu coração.
Talvez o som seja o reflexo do que há por sair...
Boa semana!

MR disse...

Oi Luz

Abrir a porta... isso mesmo, o trinco fica la dentro, e a gente fica trancado sem mesmo se lembrar por que.