quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Colecione momentos que te trazem grande alegria. Todos os dias.

Uma carta da faculdade aceitando um menino, que agora já é quase um homem, me deixou rindo sozinho nas últimas 24 horas. Não me lembro, num passado recente, algo que me houvesse dado tanta alegria. Comprei quatro caixas de bombom e distribuí aqui para as pessoas e deixei um cartaz em homenagem a ele. Parabéns querido!!





Minha alegria e felicidade, estou compartilhando, para ver o que pode trazer de bom aos ânimos de todos.

Na meditação de terça feira, o mestre (Budista) disse: "Repare nas pessoas a sua volta. Nao dao a minima para ninguem. Só se preocupam com si. Ninguem pensa no outro, ninguem faz nada pelo outro." Quis argumentar que há milhares de pessoas que se importam e que fazem alguma coisa de fato, mas naquela hora o certo é ficar calado e refletir. Calei. 


As pessoas em geral realmente não ligam. Não é meu caso,  e me orgulho disso. Falo com a consciência tranquila.

Surrupiado de um item de Facebook. Eu sei, deveria criar ao invés de chupar.
Existem coisas pequenas e grandes, coisas que levaremos para o resto de nossas vidas. Talvez sejam poucas, quem sabe sejam muitas, Provavelmente iremos pela a vida a fora colecionando essas coisas. Poderá ser uma música, quem sabe um livro, talvez uma poesia, uma carta, um e-mail, uma viagem, uma frase que alguém tenha nos dito num momento certo. Quem sabe uma amizade incomparável, um sonho que foi alcançado após muita luta, um que deixou de existir por puro fracasso. Pode ser simplesmente um instante, um olhar, um sorriso, um perfume, um beijo.
Para o resto de nossas vidas levaremos pessoas guardadas dentro de nós. Lá na frente é que poderemos realmente saber a qualidade de vida que tivemos, a quantidade de marcas que conseguimos carregar conosco e a riqueza que cada uma delas guardou dentro de si. Pensem sempre que hoje é só o começo de tudo, que se houver algo errado ainda está em tempo de ser mudado e que o resto de nossas vidas de certa forma ainda está em nossas mãos
(Silvana Duboc)

Um comentário:

paula barros disse...

Sabia que fico feliz quando você fala dos seus filhos? Talvez por sentir a sua real felicidade.

Parabéns para ele, para você, para todos que ajudaram ele nessa caminhada.