quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Não há nada a perdoar. Umas e outras sobre Pecados e o Inferno.

Acabo de ler post do Ananias sobre os Pecados e sua origem, nas listas da Igreja.
Coloquei um comentário que reproduzo aqui.

"Ananias, ótimo post.

E uma boa notícia: o inferno Católico / Cristão não existe.

Provado por um Teólogo.

Parte do princípio irrefutável que nossas vidas são finitas, nossos atos tem impacto limitado, por maiores que sejam.

Não importa qual pecado e com que tamanho, terá um limite.

Outro princípio irrefutável é que Deus é justo no máximo grau concebível.


Portanto, como que um ou mais pecados poderiam receber como pena, um castigo infinito? Pois o inferno é um estado de sofrimento infinito, o fogo que arde eternamente, para punir o pecador.
Se Deus permitisse tal castigo, a qualquer pecado cometido por nós, seria injusto.

Portanto, está provado que não pode existir tal lugar ou estado.

Infernos existem sim, os deixamos entrar em nossas vidas quando vamos para o lado negro da força e exercitamos os caminhos do pecado contra nós mesmos e o Universo. Mas só dura enquanto resolvemos ficar por lá.

O que você acha?"

Agora sobre perdoar as outras pessoas por seus atos supostamente contra nós, eu adoro a abordagem de Wayne Dyer, vi muito programa dele na TV americana quando vivia nos EUA. Copiei o texto que estava no blog de outra pessoa, que é de autoria dele, e está bem traduzido. Os créditos são dele.

"A crença de que os outros não deveriam nos ter tratado como o fizeram é, obviamente, um erro.

Em vez de ficarmos com raiva da forma como fomos tratados, precisamos aprender a ver tal tratamento de outra perspectiva. Eles fizeram o que sabiam fazer, dadas as condições de suas vidas. (nota do MR: Vide 'Os quatro compromissos' do Don Miguel Ruiz, o Mestre Tolteca)

Aprender a perdoar envolve aprender a corrigir as más interpretações que criamos com nossa própria visão das coisas.

Quando compreendermos que somos nós que fazemos acontecer tudo que ocorre em nossa existência, então estaremos numa posição de saber que até fazemos os outros acontecerem em nossas vidas para termos a quem culpar.

Quando tivermos nossos pensamentos claros, chegará ao ponto em que não será mais necessário praticar o perdão. Teremos percebido que a vida é uma série de acontecimentos que criamos ou atraimos para nós mesmos.

Assim, perceberemos que não há nada a perdoar, porque não há nada a julgar e ninguém para culpar.

QUEM AMA, VIVE NUM MUNDO DE AMOR..

QUEM É HOSTIL VIVE NUM MUNDO HOSTIL.

CADA PESSOA QUE VOCE ENCONTRA REFLETE A SUA IMAGEM.

QUANDO VOCÊ VAI PERCEBER, QUE NÃO HÁ NADA DE QUE PRECISE, QUE VOCÊ JÁ NÃO TENHA?


(Mais uma nota do MR: tenho uma terapeuta tentando me convencer que o Karma já não mais existe. Que agora é o caminho da retidão sem culpa. Isso é outro post...)

6 comentários:

Evandro Varella disse...

MR,
Boa reflexão.
Tenho pensado muito sobre isso ultimamente, a vida, o certo o errado, céu e inferno, creio que sejam apenas ilusões passageiras da nossa mente humana limitada e passageira, mas a beleza é que ainda que seja assim, somos capazes de discernir entre essas ilusões e fazer nossas escolhas.
forte abraço.

Jou Jou Balangandã disse...

MR, não sei quem disse "que a vida é um eco, se vc não gosta do que está recebendo, observe o que está emitindo". Eu assino embaixo.

Obrigada pela visitinha.

Bjos

Ananias Duarte disse...

Prezadp MR. Obrigado pela visita e pelo comentário.
Realmente a notícia de que o inferno não existe é a melhor nótícia do ano, para alívio de todas al almas.
Para min, particularmente, não é tão difícil acretitar nessa notícia, pois sou Agnóstico.
Abraços

Cris Teles disse...

Concordo plenamente com vc..Sabemos que somos energia, atraimos o que sentimos e queremos, e as vezes atraimos o que mais tentamos evitar...
Beijos!!

Dai disse...

Já presenciei tantos infernos, que o do outro lado seria apenas mais um...
Se ficarmos nos torturando com o que pode vir a acontecer em outras vidas, acabamos por esquecer desta e nao a viveremos.

Mas caso queira culpar alguém, compre um cachorro ou arranje um marido...kkk

P.S.: Nao creio no inferno.

Beijinhos...boa quinta.

MR disse...

Por essas e outras não comprarei um cachorro, coitado dele. Além de ficar sozinho em casa durante minhas viagens... E por isso que não me caso novamente, não sirvo para ser o culpado.