segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Energia

Os fundadores do Flickr, Caterina Fake e Stewart Butterfield, chegaram a conclusao de que mais horas trabalhadas sao contraproducentes.

Much more important than working hard is knowing how to find the right thing to work on. Paying attention to what is going on in the world. Seeing patterns. Seeing things as they are rather than how you want them to be. Being able to read what people want. Putting yourself in the right place where information is flowing freely and interesting new juxtapositions can be seen. But you can save yourself a lot of time by working on the right thing. Working hard, even, if that's what you like to do.


Tem tudo a ver com o outro livro que estou lendo, The Power of Full Engagement.

Gerenciar tempo é bobagem. E daí que voce consegue colocar 20 coisas na sua agenda e fazê-las? Onde voce chega com isso? Ao final de cada dia.

6 comentários:

Jeferson / Rio Negrinho-SC disse...

Tem um estudo que dis que se você esta acustumado a trabalhar 8 horas por dia, e resolve para produzir mais colocar mais 4 horas extras, a empresa sai perdendo, pois o funcionário cansado irá produzir menos nessas 4 horas e com menor qualidade, além de pagar a hora em dobro, mais valeira colocar um turno a mais na empresa, sei lá, sou leigo, mas acho que faz sentido, rs...
Abraço
Jeferson

Tute Braga disse...

Com certeza! Viva o ócio criativo!!!
hahahaha

Eu só tenho ideias pros posts do meu blog, por exemplo, quando tô no banho... andando à toa na rua, deitada na cama vendo tv...
Sempre que sento pra escrever, não sai nada! hahahaha
Adorei a matéria!
=)

Bjos

Jou Jou Balangandã disse...

Qualidade é sempre mais importante que quantidade ... ou pelo menos na maioria das vezes!

Fernando Zanforlin disse...

O tempo que se cuide, se ele quiser me acompanhar, venha e me siga.Não irei espera-lo. Tento faze-lo entender, sou eu que determino,mas ele insiste em querer fazer à sua maneira. Não ligo, vou seguindo sem dar-lhe tempo.
ABS.

MR disse...

Os autores treinaram grandes vencedores olímpicos. A teoria deles se apoia no principio que o pico de performance é necessário em alguns momentos, mas não em todos eles. E se voce tenta manter a mesma ladainha 8 ou 10 horas por dia, não será nada de muito impactante para a empresa. O que vale são as aceleradas e arrancadas, elas diferenciam você frente aos concorrentes.

Humana disse...

Olá MR,
visito-o pela primeira vez e venho primeiro que tudo agradecer as suas palavras.
Estive a ler alguns dos seus textos e visitei os seus blogs e virei outras vezes com mais tempo. Hoje foi mais um dia de tratamento e sinto-me cansada mas decidi visitar os amigos. Os mais antigos e os novos, é claro! :D
Quanto a este post, acho que o mais importante não é a quantidade de coisas que fazemos num dia nem as horas que levamos para fazê-las, mas a predisposição e vontade que temos de as concretizar, o gosto e empenho, para que realmente consigamos obter os resultados pretendidos.
Muitas vezes nas empresas verificamos que existem pessoas que passam as horas em que deviam estar realmente empenhadas, a fazer "coisa nenhuma" e depois ficam para além da hora, para mostrar serviço e até ganhar umas horinhas extra. Sempre fui contra esse tipo de atitude. Sabia o que tinha a fazer e fazia independentemente das horas que podiam ser mais ou menos. Depois do trabalho executado e porque a vida continua lá fora, ia embora na minha hora. Coisas para fazer temos sempre e o importante é fazê-las bem feitas!
Beijos, Ana Casanova