sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Inflação preocupa o Animal, já mais caro o Mineral e desvalorizado o Pessoal

Minério de Ferro com preço em alta. Subiu bem. Bom para o Mineral.

Para o Pessoal. Há mais de uma década meu amigo João Pedro me explicou o fenômeno de masculinização da mulher pela sociedade industrial e capitalista. Talvez duas ou três. Que ele explicou. Mas que aconteceu, umas oito ou nove décadas. O que de fato inviabilizou o relacionamento romântico entre homens e mulheres. Não mais bilhetes escritos à mão, dor-de-cotovelo, fossa, saudade, romance, paixão curtida.

A satisfação imediata pelos fornecedores foi viabilizada pela internet. Tudo "com um clique". Nada de esperar o disco LP chegar na Hi-Fi, escolher o mesmo naquele ambiente de luzes e ´sons estilo discoteca. Com um clique você baixa a música do iTunes para o seu iPhone, no mesmo segundo que teve a vontade.

Na noite, o que vale é pouca falação e muita ação. É a quantidade. Escolher e ficar. Ou ficar várias vezes e depois, talvez, escolher. Ou voltar sem escolher e sem ter sido escolhida, mas satisfeita(o). Ou pseudo-satisfeito(a). Acho que tudo isso provocou uma inflação,  na sensualidade, que a desvalorizou em termos reais.

Minha preocupação atual com o Brasil é essa, mudando de assunto. Inflação. Empresas otimistas. Consumidores loucos para gastar. Vai gerar inflação. Vai faltar bens para comprar. Preços vão subir.
Ações vão cair. Hora de mudar o portfolio para renda fixa, pós-fixada é claro. Indo para o CDI hoje mesmo.

E daquela pessoa, o que quero? Satisfação imediata? Não.
Quero apenas saber que algum momento do dia, ela esteve a pensar em mim.

7 comentários:

Anônimo disse...

Querido,
eu ainda acredito em relações baseadas no romantismo, com bilhetinhos, flores e muito cafuné. Se isso de fato acabou, por favor NÃO me avise. A sociedade atual implantou em mim a independência econômica, a votade de unir forças, não de competir. Em 2010 quero mais qualidade, e menos quantidade.Acho que a noite belorizontina anda deprimente, e não serve de parâmetro para avaliar relacionamentos. Quando chegar a SP te conto como anda a night life de lá...

Valeu a indicação do livro!

MR disse...

Querida,

Acho que não tem nada a ver com a noite de BH, que anda razoável, o problema são os dias!! Rsrsrsrs!

Que dificuldade de encontrar gente interessante e inteligente para fazer algo que NÃO seja beber e ir para a balada.

E não digo no aspecto romântico apenas, esquece o romantismo e amplie seus horizontes para simplesmente ter gente legal e interessante para encontrar, SEM ser voltado para aquilo. Está difícil!

Parece que só encontramos estas pessoas na blogosfera. Mas não se pode viver só de blog, certo?
A gente quer cheiro de gente, calor humano, dar um chega pra lá nos amigos e um chega-pra-cá nas amigas. rsrsrs.

Nesse lado puxei a ascendência italiana da minha mãe, gosto de dar uns trancos, uns petelecos no ouvido, pegar, abraçar. Esse negócio de "personal bubble" é para americano e alemão.

Beijos e bom final de semana.

Anônimo disse...

Acho que todo o stress psicológico dessa semana que passou queimou alguns neurônios ... viajei! Sorry!

paula barros disse...

Marcos, cheguei há pouco de uma festa, e consegui ler a mim mesma no texto. Em vários trechos.

1-No comportamento da mulher. E dos homens tb. Mas as mulheres tem me chocado mais.
2-No vazio que dá algumas noites assim.
3-Em se ter carinho no virtual e não conseguir estabelecer algo assim no real. As vezes fico com vontade de dizer: ei, você tem blog? Ou fico olhando e imaginando que aquele ali bem poderia se um blogueiro.


Quanto a ter alguém pensando na gente, parece que isso lembra a relação de mercado. Até tem pessoas que pensam na gente, mas só interesse que aquela pessoa que a gente quer que pense na gente esteja pensando. (Algo quando procuro um produto e uma marca, e não adianta ter mil funções, só compro o que quero, o que vai atender as minhas necessidades)


E para finalizar, eu lembrei que lembrei de você na festa e tanto que estou aqui lendo seu blog (3h34 rsrs)

Chegou um rapaz na festa e foi super carinhoso com duas amigas, alisou as costas, deu dois beijinhos, e estava sempre próximo, atencioso, cuidadoso e dançava super bem.

Depois de um tempo observando, chamei ele e disse: é apenas um elogio, você me encantou em dois momentos, pelo carinho com suas amigas e por dançar muito bem. Qual o seu nome? Marcos.

bom final de semana.

MR disse...

HAHAHAHA!!

Essa foi ótima!

As pessoas chamadas "Marcos" são assim mesmo, carinhosas e gentis.

Mas nem sempre. Marcos vem do Deus Romano da Guerra (Marte) que é briguento prá caramba.

Beijos pra voce e obrigado pela mensagem, alegrou meu FDS.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

São muito carinhosas*
Beijos, MR*
Renata

MR disse...

Obrigado Renata, pelo carinho também.